PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Com covid, Alckmin participará virtualmente de lançamento de Lula

23.mar.22 - Ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é visto durante a cerimônia de sua filiação ao PSB - MATEUS BONOMI/ESTADÃO CONTEÚDO
23.mar.22 - Ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é visto durante a cerimônia de sua filiação ao PSB Imagem: MATEUS BONOMI/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo*

06/05/2022 13h54Atualizada em 06/05/2022 15h02

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) testou positivo para covid-19, um dia antes do lançamento da chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto. O UOL confirmou a informação com a pré-campanha de Lula.

Segundo o deputado José Guimarães (PT-CE), Alckmin avisou à cúpula petista do diagnóstico, mas o comitê de campanha decidiu manter o ato político no sábado (7), em São Paulo, e o ex-governador deve participar de forma virtual.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação do ex-governador de São Paulo, que foi vacinado contra a covid-19 com as três doses, disse que ele está em casa e passa bem. A assessoria também confirmou que o evento está mantido e ele pode participar de forma remota.

A previsão é de que o evento de pré-candidatura reúna 4.000 convidados, entre políticos em geral, pré-candidatos nos estados, artistas, empresários, sindicalistas e representantes da sociedade civil. O lançamento acontecerá no Expo Center Norte, às 10h deste sábado.

Sete partidos se aliarão oficialmente: PT, PSB, PC do B, PSOL, Rede, PV e Solidariedade. Representantes de outros partidos, como PSD, Avante e MDB, também foram convidados para o ato de sábado.

Alckmin participou de reuniões nesta semana

Alckmin esteve com Lula e vários outros petistas na segunda-feira (2) em reuniões de avaliação. Dois dias depois, ele se reuniu com o ex-ministro Aloizio Mercadante para discutir o programa de governo de sua chapa com Lula. O encontro ocorreu na Fundação Perseu Abramo, em São Paulo.

Na reunião, Mercadante pediu indicações de nomes técnicos para debater o programa de governo e sugestões ao ex-governador, que defendeu a necessidade de se construir um "pacto republicano" no Brasil. Alckmin falou também do agronegócio. Parte do setor rejeita Lula e prefere o presidente Jair Bolsonaro (PL), mas o ex-governador tem tentado reduzir essa resistência ao petista no setor rural.

Na próxima semana, estava prevista uma viagem de Alckmin a Minas Gerais, com Lula, mas o ex-governador também não poderá participar.

*Com Estadão Conteúdo e Reuters

Política