PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Deltan acusa TCU de cobrar R$ 2,8 milhões dele por gastos na Lava Jato

Deltan Dallagnol durante palestra em Brasília - José Cruz/Agência Brasil
Deltan Dallagnol durante palestra em Brasília Imagem: José Cruz/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo*

25/05/2022 00h02Atualizada em 25/05/2022 00h18

O ex-procurador do MPF (Ministério Público Federal) Deltan Dallagnol (Podemos) divulgou um vídeo hoje para falar que recebeu uma notificação, através dos seus advogados, com a cobrança de R$ 2,8 milhões do TCU (Tribunal de Contas da União) por gastos com passagens e diárias para servidores que atuaram na força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba.

Em abril, o TCU decidiu Deltan Dallagnol e o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot por eventual pagamento decorrente de gastos com servidores da Lava Jato. O processo foi apreciado pela Segunda Câmara do TCU, que investigou o caso e ficou responsável por aplicar eventuais ressarcimentos. A decisão contou com relatoria do ministro Bruno Dantas e foi unânime.

O TCU quer colocar na minha conta, quer cobrar de mim e de outros procuradores da Lava Jato, o dinheiro que foi investido para recuperar R$ 15 bilhões para sociedade. Para recuperar isso, a gente trouxe procuradores especialistas de todo o país, pessoas especializadas em lavagem de dinheiro, em combate à corrupção para trabalhar aqui. Para isso, como qualquer empresa paga, foram pagas passagens aéreas para essas pessoas virem trabalhar, dinheiro para eles pagarem hotel, alimentação, como qualquer empresa pagaria. Deltan Dallagnol

O pré-candidato à Câmara dos Deputados apontou que o ofício foi assinado pelo ministro do TCU Bruno Dantas e acusou o membro do Tribunal de ser "apadrinhado" do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Ele ainda anunciou que vai recorrer da decisão na primeira instância e mostrou, indignado, as páginas do ofício.

"Agora o ministro Bruno Dantas, que estava lá no jantar de lançamento da pré-candidatura do ex-presidiário, ex-presidente Lula, ele, que é apadrinhado de Renan Calheiros, manda esse ofício querendo botar na minha conta quanto? Eu vou falar agora para você qual que é o custo. A gente vai recorrer disso aqui, eu vou levar para a Justiça, para 1ª instância, porque a 1ª instância é uma instância técnica do judiciário. Então eu tenho a expectativa de que vai revisar e haja conta aqui", disse.

Para Deltan, o ofício mostra qual é "o preço de quem quer combater a corrupção no Brasil".

"E ele [Bruno Dantas] querendo cobrar isso de mim que não sou administrador do Ministério Público, não mandei pagar diária, não recebi essas diárias, não autorizei, e ele deu um jeito de me incluir lá. E olha o que ele quer cobrar de mim: R$ 2,8 milhões. Esse é o preço de quem quer combater a corrupção no Brasil. O sistema reage, o sistema contra-ataca, o sistema quer parar você, mas se vocês querem me parar, eu não vou ser parado. Eu vou seguir em frente, eu não vou desistir do meu país."

*Com Pedro Paulo Furlan, do UOL, em São Paulo

Política