PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Bolsonaro, após homem morto asfixiado: 'Onde? Vou me inteirar com a PRF'

Jair Bolsonaro indicou que não estava sabendo que policias rodoviários federais mataram um homem negro em ação truculenta - Alan Santos/PR
Jair Bolsonaro indicou que não estava sabendo que policias rodoviários federais mataram um homem negro em ação truculenta Imagem: Alan Santos/PR

Hanrrikson de Andrade e Gilvan Marques

Do UOL, em Brasília e São Paulo

26/05/2022 12h31Atualizada em 26/05/2022 14h07

Um dia após policias rodoviários federais matarem um homem negro de 38 anos no município de Umbaúba, litoral sul de Sergipe, em uma ação truculenta —segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal), a causa da morte foi "insuficiência aguda secundária a asfixia"—, o presidente Jair Bolsonaro (PL) indicou que não estava sabendo sobre o caso.

Em Brasília, Bolsonaro foi questionado pela imprensa sobre a morte de Genivaldo de Jesus Santos pela PRF (Polícia Rodoviária Federal): "E a execução, o cara sufocado na câmara de gás?"

E disse: "Câmara de gás? Onde? Vou me inteirar com a PRF".

Vídeos e detalhes do boletim de ocorrência mostram que os agentes usaram o que parecem ser bombas de gás lacrimogêneo para dominarem o homem.

Antes dessa fala, porém, Bolsonaro publicou mensagem nas redes sociais na qual elogia a atuação das forças policiais durante o seu governo. No texto, o presidente da República não cita a morte de Genivaldo (leia a mensagem, na íntegra, abaixo). A nota postada no Telegram de Bolsonaro é assinada pela Secom (Secretaria de Comunicação Social) da Presidência.

As Forças Policiais e de Segurança do Brasil (PRF, PF, polícias militares e civis e seus batalhões, entre outras) têm trabalhado em prol da liberdade dos brasileiros de bem, ordeiros e honestos. Lamentam o sucesso das ações de segurança, apenas, bandidos e comparsas.
Presidente Jair Bolsonaro, no Telegram

Ainda sobre o caso, o chefe do Executivo declarou na capital federal: "O que eu vi há duas semanas foi aqueles dois policiais executados por um marginal que estava andando lá no Ceará".

"Uma coisa é execução. A outra, eu não sei o que aconteceu. A execução, ninguém admite, ninguém executar ninguém. Mas não sei o que aconteceu para te dar uma resposta adequada", acrescentou.

Ontem, Bolsonaro já havia parabenizado a Polícia Militar e o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) após a chacina que deixou pelo menos 26 mortos na Vila Cruzeiro anteontem, na zona norte do Rio de Janeiro.

A morte de Genivaldo

Ontem, Genivaldo morreu depois de ser submetido a uma ação truculenta da PRF. Segundo testemunhas, ele foi abordado na tarde de ontem em uma blitz na rodovia BR-101, enquanto pilotava uma motocicleta. Imagens de um vídeo gravado por uma pessoa que presenciou a cena mostram que a ação começa com três agentes que se lançam sobre o homem, na tentativa de imobilizá-lo, ao encontrar uma cartela de remédios com ele.

Em outro vídeo que também circulou nas redes sociais, é possível ver o momento em que Santos é mantido preso no porta-malas da viatura da PRF por dois agentes da corporação.

Pelas frestas da porta traseira, mantida semifechada, é possível ver fumaça escapando, enquanto se pode ver, na parte de baixo, as pernas do homem balançando em desespero, enquanto ele grita no interior da viatura.

Em alguns momentos, um dos policiais tenta segurar as pernas de Santos, enquanto o outro continua a bombear gás para dentro da viatura por uma das frestas.

Nota do governo Bolsonaro

As Forças Policiais e de Segurança do Brasil (PRF, PF, polícias militares e civis e seus batalhões, entre outras) têm trabalhado em prol da liberdade dos brasileiros de bem, ordeiros e honestos. Lamentam o sucesso das ações de segurança, apenas, bandidos e comparsas.

Há ainda muito que fazer, pois foram décadas de escalada da violência. Mas os grandes avanços do Brasil no combate ao crime, com recordes de redução de mortes violentas, são resultado dos investimentos e do respaldo às forças de segurança e do fortalecimento da guerra ao crime.

Em 2019, o Brasil registrou a maior queda de mortes violentas da história: 19% menos assassinatos do que em 2018.

Já em 2021, atingimos os menores índices de assassinatos da história do levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Nos últimos anos, apreensões recorde de drogas por nossas forças de segurança resultam em prejuízos bilionários para os traficantes — somente com o Programa V.I.G.I.A. (que atua nos estados brasileiros com fronteira internacional) já são quase R$ 6 bilhões.

Somente a Polícia Rodoviária Federal já apreendeu 1.800 toneladas de drogas entre 2019 e 2021. No mesmo período, a PRF recuperou mais de R$ 23 bilhões em bens apreendidos. Em 2021, o Brasil bateu recorde na apreensão de cocaína: 18 toneladas.

Estes e outros dados relevantes representam mais do que simples números. São vidas preservadas.

São valores — como a inegociável LIBERDADE — sendo garantidos a brasileiros que estavam acostumados a viver amedrontados e vão experimentando uma inédita tranquilidade.

E tudo isso é resultado do trabalho do Governo, que valoriza as polícias e as Forças Armadas, oferece respaldo aos agentes de segurança no combate ao crime e amplia

  • Os investimentos em efetivos, treinamentos e equipamentos.
  • O orçamento executado para Segurança chegou a R$ 5,4 bilhões (2019-21), o maior em décadas;
  • Respaldo para as forças de segurança;
  • Investimentos do Governo Federal em inteligência e equipamentos;
  • Reversão dos bens do tráfico, via leilões, para a Segurança Pública;
  • Apreensões recordes e prejuízos ao crime organizado;
  • Integração entre forças federais e estaduais;
  • Armas legais com os cidadãos de bem;
  • Queda histórica da criminalidade

SecomVc
Governo do Brasil

Política