PUBLICIDADE
Topo

Política

Servidores relatam surto de covid e receita de ivermectina na Câmara

Funcionários fazem a limpeza do Departamento Médico da Câmara dos Deputados - Gabriela Vinhal/UOL
Funcionários fazem a limpeza do Departamento Médico da Câmara dos Deputados Imagem: Gabriela Vinhal/UOL

Camila Turtelli e Gabriela Vinhal

do UOL em Brasília

26/05/2022 18h53Atualizada em 27/05/2022 06h47

Servidores da Câmara ouvidos pelo UOL relataram o aumento de casos de covid-19 entre os funcionários nas últimas semanas. Um deles, diagnosticado com a doença nesta quarta-feira, 25, disse ainda que recebeu uma receita de ivermectina — antiparasitário com ineficácia comprovada contra o coronavírus — ao ser atendido pelo departamento médico da Casa.

Ao ler a receita, o servidor disse ter se recusado receber a orientação, devido a falta de embasamento científico para o uso do remédio nos casos de covid-19. Outra servidora disse também ter recebido a mesma receita em janeiro deste ano, quando foi diagnosticada com a doença.

A informação de que um médico que atua na emergência da Câmara tem orientado o uso do medicamento foi revelada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

A reportagem do UOL questionou a assessoria de imprensa da Câmara, mas não obteve os números de casos de covid ou de mortes em razão da doença registrados na Casa. O órgão informou que a divulgação dos dados deve ser solicitada por meio da LAI (Lei de Acesso à Informação), o que foi feito.

Como o UOL mostrou, a taxa de testes positivos para covid-19 em laboratórios particulares triplicou em um mês, segundo pesquisa da Abramed (Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica), instituição que representa 65% dos laboratórios de diagnóstico do país.

O aumento dos testes positivos em laboratório ocorre há mais de um mês. Passou de 7%, na semana entre 3 e 9 de abril, para 29%, na semana terminada em 21 de maio.

Ineficaz para evitar internação

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que "a ivermectina não seja utilizada" para os pacientes de covid-19, salvo nos ensaios clínicos.

Apesar disso, o medicamento, entre outras drogas igualmente ineficazes contra a doença, foi distribuído e teve seu uso incentivado pelo Ministério da Saúde e pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em março, um estudo brasileiro envolvendo mais de 3.000 pacientes com covid de 12 cidades de Minas mostrou que a ivermectina não é eficaz para evitar infectados pelo coronavírus sejam internados.

Os resultados do ensaio clínico, que foram publicados no The New England Journal of Medicine, apontaram ainda que voluntários que tomaram ivermectina nos primeiros três dias após um teste positivo de coronavírus tiveram resultados piores do que os do grupo placebo.

Política