PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Senado aprova criação de comissão sobre sumiço de jornalista e indigenista

O indigenista Bruno Araújo Pereira esteve em expedição pela Amazônia antes de se encontrar com o jornalista inglês Dom Phillips - Arquivo pessoal
O indigenista Bruno Araújo Pereira esteve em expedição pela Amazônia antes de se encontrar com o jornalista inglês Dom Phillips Imagem: Arquivo pessoal

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

13/06/2022 15h55

O Plenário do Senado Federal aprovou hoje a criação de comissão externa para investigar o caso do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira, desaparecidos desde domingo (5), quando se deslocavam de barco pelo rio Itaquaí após visita à Terra Indígena do Vale do Javari (Amazonas), território que tem sido alvo de invasão por caçadores, pescadores e madeireiros ilegais.

A medida foi tomada após um requerimento protocolado hoje pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). "Os responsáveis diretos e indiretos não podem ficar impunes. Estamos vivendo uma realidade de violência que choca o Brasil. É necessário apurar para que situações assim não se repitam", afirmou o congressista em nota ao UOL.

Ao todo, nove senadores deverão integrar o grupo: três da Comissão de Constituição e Justiça, três da Comissão de Meio Ambiente e três da Comissão de Direitos Humanos.

Onde o indigenista e o jornalista desapareceram - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Randolfe Rodrigues pediu criação de grupo para apurar sumiço de Dom e Bruno - UOL - UOL
Randolfe Rodrigues pediu criação de grupo para apurar sumiço de Dom e Bruno
Imagem: UOL

Na avaliação de Randolfe, a necessidade de apuração do caso se dá diante dos recorrentes ataques aos defensores do desenvolvimento sustentável na Amazônia. Além disso, é uma forma de apurar omissões na proteção de ativistas ambientais e o estímulo a ataques àqueles que atuam em prol da preservação da floresta.

"O caso não pode ser tratado com indiferença, sendo necessário o envio de todos os recursos possíveis para que o caso tenha uma rápida solução, sobretudo com o esclarecimento das causas do aparente crime, bem como de seus mandantes e executores, inclusive para que se tenham subsídios suficientes para evitar que o exercício da proteção ao meio ambiente e às minorias e que o exercício do jornalismo deixem de ser atribuições de risco no Brasil", diz o congressista da Rede no requerimento.

Randolfe solicitou ainda que os membros da comissão sejam indicados no prazo máximo de 24 horas, em decorrência da urgência para apurar o caso. "Não podemos mais tratar como isoladas situações de violência contra os defensores da floresta. Um momento lamentável que não vai passar despercebido. Temos a escalada do banditismo de uma política de ódio e violência que deve ser combatida com ações eficientes dos poderes", destacou o parlamentar.

Buscas

A Polícia Federal, a Funai, o Ministério Público Federal, as Forças Armadas e o governo do Amazonas estão envolvidos nas buscas. Hoje cedo, a família do jornalista Dom Phillips disse que foi informada sobre dois corpos que foram encontrados no Vale do Javari (AM). Em nota, a Polícia Federal afirmou que "não procedem as informações que estão sendo divulgadas a respeito de terem sido encontrados os corpos de Bruno Pereira e Dom Phillips". Ainda de acordo com o texto da PF, "foram encontrados materiais biológicos que estão sendo periciados e os pertences pessoais dos desparecidos."

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse hoje que indícios levam a crer que será difícil encontrar o jornalista e o indigenista com vida. "Estou acompanhando [as buscas dos corpos]. Agora, os indícios levam a crer que fizeram alguma maldade com eles. Foram encontradas vísceras humanas, que já estão aqui em Brasília para se fazer o DNA", disse, em entrevista à rádio CBN.

Política