PUBLICIDADE
Topo

Política

Candidato do Novo à Presidência declara patrimônio de R$ 24,6 milhões

30.jul.22 - Partido Novo oficializa candidatura de Felipe D"Avila à presidência - Divulgação/Novo
30.jul.22 - Partido Novo oficializa candidatura de Felipe D'Avila à presidência Imagem: Divulgação/Novo

Do UOL, em São Paulo

03/08/2022 21h52Atualizada em 04/08/2022 09h24

O cientista político Luiz Felipe D'Ávila, 58, registrou no início da noite de hoje seu pedido de candidatura à Presidência da República junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O candidato, que concorrerá pelo partido Novo, declarou o maior patrimônio entre os quatro presidenciáveis que já protocolaram o nome para a disputa ao cargo: R$ 24,6 milhões.

Fundado em 2015, o Novo terá candidato próprio ao Planalto pela segunda vez. O banqueiro João Amoêdo, que concorreu pela sigla em 2018, havia registrado um patrimônio de R$ 425 milhões, mais de 17 vezes superior ao de D'Ávila. O nome dele foi confirmado pelo Novo no último sábado (30).

Nascido em São Paulo, D'Ávila nunca concorreu a um cargo eletivo, mas já tinha atividade política. Em 2018, ele foi coordenador do programa de governo do então tucano Geraldo Alckmin, hoje candidato a vice na chapa de Lula. Naquele pleito, Alckmin acabou em quarto lugar, com 4,7% dos votos.

Na declaração de patrimônio do candidato do Novo estão registradas duas casas que, juntas, valem pouco mais de R$ 3,3 milhões. Há ainda uma aplicação de renda fixa, de R$ 238 mil, e uma aplicação de R$ 1.350. O restante do valor, cerca de R$ 21 milhões, está anotado como "quotas ou quinhões de capital".

Cientista político de formação, D'Ávila já atuou no mercado editorial e fundou uma empresa de geração de energia com biomassa. O vice na chapa é o deputado federal Tiago Mitraud (Novo-MG), um dos oito membros da bancada do partido na Câmara.

Em entrevista ao UOL Notícias, no final do ano passado, ele defendia que as forças da chamada terceira via se unissem para definir, em meados de 2022, uma candidatura competitiva que fizesse frente à disputa entre Lula e Bolsonaro.

Outras candidaturas

Líderes nas pesquisas de intenção de voto, Lula e Bolsonaro ainda não registraram suas candidaturas junto ao TSE. Além de D'Ávila, também já estão listados Pablo Marçal (Pros), Sofia Manzano (PCB) e Léo Péricles (UP).

Marçal, que luta para manter a candidatura após a executiva nacional do Pros declarar apoio a Lula, declarou o segundo maior patrimônio entre os já registrados: R$ 16,9 milhões. Em seguida aparece Sofia Manzano, com R$ 498 mil.

Já Léo Péricles, que concorrerá pela sigla Unidade Popular, declarou um patrimônio de apenas R$ 197,31, registrado como "caderneta de poupança".

Política