PUBLICIDADE
Topo

Política

No Recife, Bolsonaro convoca apoiadores para atos de 7 de setembro

Camila Turtelli, Rafael Neves, Do UOL, em Brasília e São Paulo

06/08/2022 13h59Atualizada em 06/08/2022 18h29

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, voltou a convocar apoiadores para atos no feriado de 7 de setembro. Em discursos no Recife, onde participou de uma motociata e da Marcha para Jesus, o presidente anunciou que estará em Brasília, pela manhã, e em Copacabana, no Rio, à tarde.

Apesar de chamar os apoiadores para o evento, Bolsonaro buscou desvincular a iniciativa da sua campanha eleitoral. "Esse movimento não é político. Esse movimento não é de A, nem de B nem de C. Esse movimento é do povo brasileiro, que não abre mão da sua liberdade, que defende a sua democracia, e quer o bem de todos aqui no Brasil", declarou ele no final da manhã, logo antes da motociata.

À tarde, em fala aos participantes da Marcha para Jesus, o presidente voltou a fazer um discurso de afastamento da política. "Eu acredito que nós, hoje, estamos louvando a Deus. Buscando cada vez mais atingir a esse objetivo. Longe da política, do lado do Criador, é o destino desse povo brasileiro", afirmou.

O presidente desembarcou hoje mais cedo na Base Aérea do Recife, onde apoiadores o esperavam. No local, ele foi recebido pelo ex-ministro do Turismo e candidato ao Senado Gilson Machado (PL), um dos organizadores dos eventos na capital pernambucana. Ele também esteve acompanhado de Anderson Ferreira (PL), que é o candidato ao governo do estado.

Partido irá processar candidatos críticos

Nesta semana, Bolsonaro autorizou a equipe jurídica da sigla pela qual ele tentará se reeleger à Presidência da República a processar candidatos que se manifestarem publicamente contra o mandatário até 16 de agosto, dia em que a campanha eleitoral começará oficialmente.

Também nesta semana, a TV Globo informou que Bolsonaro participará da série de entrevistas que o Jornal Nacional realizará neste mês com candidatos à Presidência da República. Horas antes, a emissora havia anunciado que Bolsonaro não iria participar, por ter exigido que fosse entrevistado no Palácio da Alvorada, em Brasília, sendo que a regra é que os candidatos precisam comparecer ao estúdio da emissora no Rio de Janeiro.

Política