Sessão sobre a Sabesp é retomada sem deputados da oposição e sem público

A Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) retomou a sessão sobre a privatização da Sabesp pouco após as 20h.

O que aconteceu

No plenário foi permitida apenas a presença de deputados e da imprensa.

Cadeiras vazias onde estavam deputados da oposição. A esquerda não voltou para a sessão após a confusão entre manifestantes e a PM, que os agrediu.

A discussão foi interrompida às 18h30 após PMs jogaram spray de pimenta em manifestantes e bateram com cassetetes. A confusão começou quando o público se levantou e tentou quebrar o vidro que os separava dos deputados.

Oposição diz que vai se manifestar por nota e que não vão participar da votação. A decisão foi tomada em reunião informal do lado de fora do prédio.

Eventual aprovação sem os votos da oposição será simbólico. Parte dos opositores considerava voltar a plenário para votar ou enviar um representante à tribuna. Mas o entendimento foi de que é melhor deixar só os governistas votarem.

A Casa iniciou os trabalhos às 17h30 de hoje e havia marcado a votação para às 20h — antes da confusão. A assessoria de imprensa da Alesp afirma que a sessão será transmitida pela TV Alesp e no YouTube.

Pessoas foram detidas

O deputado Paulo Fiorilo (PT) afirmou que cinco pessoas foram detidas. O UOL entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e aguarda retorno.

Continua após a publicidade

Manifestantes foram levados para a delegacia da Alesp e para o posto de saúde do prédio. Imagens que circulam nas redes sociais mostram pessoas feridas e sangrando ainda dentro do plenário.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes