Conteúdo publicado há 5 meses

STJ autoriza quebra de sigilo bancário de Cláudio Castro após pedido da PF

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) autorizou a quebra do sigilo bancário, fiscal e telemático do governador Cláudio Castro (PL-RJ).

O que aconteceu

Castro é investigado pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção. A quebra de sigilos foi um pedido da PF no âmbito da Operação Sétimo Mandamento.

A PF investiga desvios em contratos da área de assistência social do governo do Rio e pagamentos de propina aos agentes públicos entre 2017 e 2020.

Na manhã de hoje, um mandado de busca e apreensão foi cumprido contra o irmão de criação de Cláudio Castro, Vinícius Rocha. Também foram alvos: Allan Borges Nogueira, gestor de governança socioambiental da Cedae, e Astrid de Souza Brasil Nunes, subsecretária de Integração Sociogovernamental e de Projetos Especiais da Secretaria de Estado de Governo.

O governador do Rio de Janeiro não foi alvo das buscas de hoje, mas é investigado.

A defesa do governador afirma que "não há nada" na investigação contra ele. "Nenhuma prova e tudo se resume a uma delação criminosa, de um réu confesso, a qual vem sendo contestada judicialmente".

De acordo com as investigações, a organização criminosa penetrou nos setores públicos assistenciais sociais no âmbito do estado do Rio de Janeiro e realizou fraude a licitações e contratos administrativos, desvio de verbas públicas e pagamentos de 'propinas' aos envolvidos nos esquemas criminosos.
PF em comunicado

A operação deflagrada nesta quarta-feira (20/12) não traz nenhum novo elemento à investigação que já transcorre desde 2019.
Defesa de Cláudio Castro, em nota.

Deixe seu comentário

Só para assinantes