Conteúdo publicado há 3 meses
OpiniãoPolítica

Gafes, boas notícias, personagens: colunistas do UOL opinam sobre 2023

Colunistas e apresentadores do UOL compartilharam suas opiniões sobre os principais personagens de 2023, as maiores gafes e as boas notícias do ano.

Quem foi personagem de 2023?

Fabíola Cidral: Flávio Dino. Começou como senador, foi indicado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, trabalhou muito após o 8 de Janeiro e terminou o ano indicado ao Supremo Tribunal Federal.

Leonardo Sakamoto: Alexandre de Moraes. O ministro encabeçou os inquéritos dos atos de 8 de Janeiro mesmo em meio a críticas e ataques, que vêm desde o período eleitoral de 2022.

Carla Araújo: Rosa Weber. Além da atuação imediata no 8 de Janeiro, a ex-presidente do Supremo votou pela descriminalização do aborto. Porém, o voto foi dado apenas em seu último ato na presidência do STF, o que "deixou a discussão do tema em si na gaveta".

Reinaldo Azevedo: Lula. O inédito terceiro mandato na Presidência e os embates dentro e fora do Congresso, como o 8 de Janeiro, a reformas tributária e o novo arcabouço fiscal, colocam o petista na inevitável posição de destaque.

Diego Sarza: Erika Hilton. A deputada federal pelo PSOL-SP encabeçou embates contra discursos de ódio no Congresso Nacional e obteve destaque na lista de lideranças mais promissoras da revista Time, junto à deputada Duda Salabert (PDT-SP) e à ativista Txai Suruí.

E a maior gafe do ano?

Fabíola Cidral e Carla Araújo: Lula fala sobre uso de muletas após cirurgia. Presidente disse que não seria visto de muleta ou cadeira de rodas após cirurgia no quadril, pois queria estar sempre "bonito". Comentário foi duramente criticado por seu teor capacitista.

Leonardo Sakamoto: "Derrotamos o bolsonarismo", de Luís Roberto Barroso. Ministro do STF deu a declaração em evento da UNE (União Nacional dos Estudantes), sendo acusado por apoiadores do ex-presidente de agir com partidarismo na Suprema Corte.

Continua após a publicidade

Reinaldo Azevedo: Reflexo do pai de Mauro Cid e fala de Moro "com mim". No primeiro caso, o rosto do pai do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro foi identificado pela Polícia Federal no reflexo de uma foto usada para negociar, nos EUA, a venda esculturas recebidas pelo Brasil como presente oficial. O segundo caso ocorreu no início de dezembro: durante audiência no TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná), o senador Sergio Moro deslizou na língua portuguesa: "o valor elevado não corresponde ao que foi gasto especificamente com mim".

Diego Sarza: Michelle Bolsonaro diz amar cidade de "Pernambuco". Gafe ocorreu em abril, em evento de recepção para Bolsonaro, recém-chegado do auto-exílio nos EUA. Derrotado nas urnas, Bolsonaro saiu do Brasil em dezembro de 2022 e não passou a faixa presidencial a Lula.

Uma notícia para sorrir

Fabíola Cidral: Preta Gil curada do câncer. No dia 11 de dezembro, a cantora compartilhou o sucesso de seu tratamento contra um câncer no intestino, diagnosticado em janeiro.

Carla Araújo: Igualdade salarial entre homens e mulheres vira lei. O texto foi assinado por Lula em julho de 2023, após tramitar pelo Congresso.

Reinaldo Azevedo e Leonardo Sakamoto: A inelegibilidade de Bolsonaro. O ex-presidente não poderá concorrer às eleições até 2030, decidiu o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em junho.

Continua após a publicidade

Diego Sarza: Remissão completa de linfoma em paciente. Paulo Pelegrino foi tratado durante 1 mês com a terapia CAR-T Cell, desenvolvido pela USP, pelo Hemocentro de Ribeirão Preto e pelo Instituto Butantan, e foi curado.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes