Conteúdo publicado há 1 mês

Hang é condenado a indenizar fotógrafo por danos morais: 'Esquerdinha'

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, foi condenado pela Justiça do Paraná a pagar R$ 5 mil ao fotógrafo Eduardo Matysiak. A decisão foi assinada na última segunda-feira (26), em Curitiba. Cabe recurso.

O que aconteceu

Hang deve pagar R$ 5 mil a fotógrafo. O empresário foi condenado a indenizar o fotógrafo Eduardo Matysiak por realizar "postagens injuriosas" contra Eduardo, após ele fotografar um ônibus de Hang estacionado em um local proibido.

Empresário terá que apagar publicações. O juiz Rafael Rufino Lopes, da 13ª Vara Especial Cível, decidiu também que Hang exclua as postagens em que xinga Eduardo Matysiak, veiculadas no X, Facebook e Instagram.

Após postagem de Hang, fotógrafo teria sido ameaçado. O advogado de Matysiak, Chrystian Sobania, contou ao UOL que seu cliente sofreu ameaças de seguidores de Hang após uma postagem dele. "Eduardo começou a ser massacrado. Tem mais de 800 mensagens de cunho com palavras de baixo calão, com ataques, ofensas a ele, chamando ele de tudo, que iam bater nele, que iam matar ele, que ele só era macho, atrás da tela, que sabia onde ele morava."

À época, Hang chamou o fotógrafo de "esquerdinha". Em postagem nas redes sociais, datada de abril de 2022, Luciano Hang chama Eduardo Matysiak de "esquerdinha" e o acusa de "perseguição" e ser "nada imparcial". Leia a transcrição do post, presente na decisão judicial:

O fotógrafo esquerdinha @edumatysiakfoto queria um minuto de fama e agora terá! Essa semana ele fotografou o ônibus patriota, que fretamos a trabalho, em suposto lugar irregular, em Curitiba (PR). Estávamos hospedados em um Hotel que indicou onde o motorista deveria estacionar, lugar esse que também recomendam a outros ônibus de excursão. Mas apenas o nosso foi multado? Seria coincidência? Olhando as redes sociais do fotojornalista fica claro que ele tem um lado: um militante de esquerda! Até já twittou sobre mim em outros momentos... Eduardo Matysiak é um profissional nada imparcial, que age por suas próprias ideologias e opiniões pessoais. Fico me perguntando se fosse um ônibus vermelho, com militantes de esquerda. Será que ele denunciaria da mesma forma? Seria então perseguição? Deixe a sua opinião nos comentários.
Luciano Hang, em suas redes sociais

Assessoria de Hang respondeu na época

Em abril de 2022, assessoria de Hang respondeu o UOL sobre o caso. Em mensagem, disseram que o empresário "não incitou qualquer tipo de ação" e reforçaram que Matysiak seria "um esquerdista". Leia o posicionamento completo:

A ação de Hang foi uma resposta a Matysiak, que inicialmente expôs o empresário em suas redes sociais, após confrontá-lo em frente ao hotel em que ele e equipe estavam hospedados, questionando sobre uma suposta multa, a qual o empresário não tinha conhecimento. Até porque o ônibus Patriota não é de propriedade de Hang ou da Havan, e o local destinado ao estacionamento foi uma recomendação do hotel.
Ele iniciou a exposição do fato e está colhendo as consequências. De qualquer modo, Hang enfatiza que se sente feliz por Matysiak tê-lo abordado tão cedo na porta do hotel, o que demonstrou que pelo menos uma vez na vida algum "esquerdista" soube o que é acordar cedo para trabalhar.

Continua após a publicidade

O UOL entrou em contato com a defesa de Hang, mas não obteve retorno. Este espaço segue aberto para manifestação.

Deixe seu comentário

Só para assinantes