Conteúdo publicado há 1 mês

Bolsonaro 'está tentando escapar' do risco de ser preso, diz Lula

O presidente Lula (PT) declarou hoje que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) "está tentando escapar" da possibilidade de ser preso, caso seja julgado por uma tentativa de golpe de Estado.

O que Lula disse

Lula comentou o ato promovido por Bolsonaro no dia 25, em São Paulo, na abertura da Conferência na Nacional de Cultura. "Um cidadão que sabe que fez caca, que fez burrice, que tentou dar um golpe, que sabe que vai para a Justiça, que sabe que vai ser julgado e que, se for julgado, ele pode ser preso e está tentando escapar", provocou.

Se vocês tiverem acesso, quando for publicado, eu acho que a gente vai ter acesso aos depoimentos das pessoas, a verdade nua e crua é que esse cidadão [Bolsonaro] preparou um golpe para o país. Quando ele ficou trancado em casa por várias semanas, que não sabia se ele estava chorando, o que ele estava fazendo, ele estava preparando um golpe, tentando imaginar como ele ia fazer para não deixar o presidente eleito tomar posse. Eu acho que ele se borrou de medo e resolveu ir embora para os Estados Unidos para não ver a posse.
Lula, na abertura da CNC

As investigações da PF sobre atos golpistas apontam que a cúpula do governo Bolsonaro trabalhava com um "plano para subverter o Estado Democrático de Direito". O objetivo seria impedir a posse do presidente Lula e manter Bolsonaro no poder, após ele ter sido derrotado nas urnas.

O ex-presidente foi convocado para prestar depoimento, mas permaneceu calado. "A expectativa dos investigados em obter êxito na referida empreitada criminosa permaneceu durante o mês de dezembro, adentrando, inclusive, em janeiro de 2023", diz a PF, em alusão aos atos golpistas de 8 de janeiro.

Golpe estava desenhado

O presidente havia abandonado discursos contundentes contra o adversário há um tempo, mas retomou após as manifestações. Ao passo que o governo tentava evitar o assunto, o próprio Lula chegou a assumir que o ato na Avenida Paulista teve relevância.

Ao subir ao palco, Lula vou recebido por gritos de "sem anistia" pelos militantes e profissionais da cultura, além do tradicional "olê olê olá". Gritos como este são comuns em eventos com o petista no Palácio do Planalto. Lula costuma não levar para frente, mas os presentes no palco aplaudiram.

Ele [Bolsonaro] imaginava que as pessoas que ele pagou, que ele organizou e que ajudou a financiar para ficar nas portas dos quartéis, ele achava que essa gente ia dar o golpe e, possivelmente, ele fosse ungido pelo povo fascista desse país para voltar nos braços do povo para assumir a presidência da República. Era isso que estava desenhado, mas era isso que não aconteceu.
Lula, na abertura da CNC

Continua após a publicidade

A PF já identificou movimentos suspeitos de Bolsonaro e seus principais aliados com a invasão à praça dos Três Poderes. Os generais Braga Netto e Augusto Heleno, ex-ministros de Bolsonaro e próximos ao presidente, por exemplo, estiveram com alguns dos manifestantes que tomaram Brasília no dia 8 de janeiro.

Lula provocou ainda que Bolsonaro ficou "com medo da posse". Para Lula, a sua terceira posse mostrou que havia muitas pessoas ao seu lado e que as urnas eletrônicas "não mentiram para ele", relembrando que foi solicitada a reavaliação dos votos apenas do 2º turno e não do primeiro, em que os partidos de direita tinham conseguido aprovar muitos nomes para os cargos na disputa.

Deixe seu comentário

Só para assinantes