PUBLICIDADE
Topo

Secretaria de Saúde do Paraná descarta caso suspeito de coronavírus

22.jan.2020 - Médicos transferem paciente com suspeita de estar com o coronavírus no hospital Rainha Elizabeth, em Hong Kong - Reuters
22.jan.2020 - Médicos transferem paciente com suspeita de estar com o coronavírus no hospital Rainha Elizabeth, em Hong Kong Imagem: Reuters

Stella Borges

Do UOL, em São Paulo

29/01/2020 09h54Atualizada em 29/01/2020 11h21

A Secretaria de Saúde do Paraná descartou hoje que um paciente internado em Curitiba esteja com coronavírus. O caso é um dos três que o Ministério da Saúde informou ontem estar investigando.

O homem, de 29 anos, foi a Curitiba a trabalho e procurou assistência médica em um hospital privado, que não teve o nome divulgado, com quadro de infecção respiratória leve. Ele esteve em Xangai, na China, a mais de 685 km de distância de Wuhan, cidade considerada epicentro do vírus.

Segundo o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, o rapaz teve o diagnóstico descartado por exames feitos pelo laboratório central do estado. Ele disse que se tratava de um vírus da Influenza B, um tipo de gripe.

Um outro caso de coronavírus está sendo investigado no estado. Trata-se de uma mulher de 23 anos que também viajou à China. Moradora de Curitiba, ela foi até uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e encaminhada para o Hospital das Clínicas.

Este caso, no entanto, não consta na relação dos investigados divulgada ontem pelo governo federal porque, segundo a secretária de saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, só foi notificado no fim da tarde.

De acordo com Márcia, a paciente aguarda o resultado dos exames, mas tudo leva a crer que também não se trata de coronavírus. "Já está descartado clinicamente, vamos aguardar o resultado, mas provavelmente deve ser uma influenza ou coisa parecida", explicou.

As duas autoridades afirmaram que neste momento não há motivo para pânico. "Não há motivo de alarde, de comoção popular, tudo está dentro dos padrões esperados. Não há motivo de pânico, mas o estado está preparado para caso haja necessidade", afirmou Preto.

"É importante esclarecer que todo indivíduo que chegar em um serviço de saúde e tiver quadro clínico gripal, respiratório e relatar que teve passagem pela China ou contato com alguém que passou por lá passa a ser caso suspeito. Não significa que tenha a doença, é precaução", acrescentou Marcia.

Casos investigados em MG e RS

O Ministério da Saúde ainda informou ontem estar investigando casos suspeitos de coronavírus em Belo Horizonte e em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

O paciente de São Leopoldo é um homem de 40 anos que procurou atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, na região metropolitana de Porto Alegre. Ele relatou que chegou de viagem da China há quatro dias. Em nota, a prefeitura informou que o paciente foi isolado e realizou exames prévios, seguindo o protocolo do Ministério da Saúde.

Sobre a paciente internada em Minas Gerais, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou ontem que o estado geral dela era estável e sem complicações.

Em nota, o Ministério da Saúde reforçou entre as orientações que viagens para a China sejam realizadas apenas em casos de extrema necessidade. Com quase seis mil casos confirmados, todo o território chinês passa a ser considerado área de transmissão ativa da doença. Ainda segundo a OMS, o risco mundial de contaminação é considerado "alto".

* Com reportagem de Hygino Vasconcellos, colaboração para o UOL, em Porto Alegre

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Saúde