PUBLICIDADE
Topo

Brasil registra 12 casos suspeitos de coronavírus; 7 em São Paulo

Coronavírus: Movimentação no Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos após chegada de voo chinês - Fepesil/TheNews2/Agência O Globo
Coronavírus: Movimentação no Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos após chegada de voo chinês Imagem: Fepesil/TheNews2/Agência O Globo

Guilherme Mazieiro e Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

31/01/2020 16h30

O Ministério da Saúde atualizou os dados sobre coronavírus e descartou um caso suspeito em Minas Gerais. Com isso, o número de casos no Brasil é de 12 suspeitos e 10 descartados. O caso suspeito em Minas Gerais passou por três exames diferentes e todos deram negativo para o novo coronavírus. A informação do Ministério foi corrigida pelo secretário de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, durante uma coletiva de imprensa para atualizar o monitoramento no país.

Os casos estão divididos entre os estados do Ceará (1), Paraná (1), Rio Grande do Sul (2), Santa Catarina (1) e São Paulo (7). Sobre os 12 casos suspeitos, 4 já passaram por exames comuns e não foram classificados como vírus tradicionais, como influenza, por exemplo. Com isso, foram encaminhados para análises específicas junto ao laboratório da Fiocruz. Outros 8 casos estão nos processos mais comuns de identificação.

Em razão do avanço da doença pela China (onde há a maior parte dos casos) e no mundo, a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou ontem (30) emergência sanitária global.

O Ministério da Saúde informou que há 7.818 casos confirmados no mundo, dos quais 7.736 (99%) na China. No país asiático há 12.167 casos suspeitos, destes, 1.370 são casos graves. Segundo o balanço da OMS, são 170 óbitos na China.

No resto do mundo há outros 82 casos espalhados por 18 países.

Na tarde de hoje, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu com os ministros Henrique Mandetta (Saúde), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria Geral) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), além de integrantes das Forças Armadas.
Como medida preventiva, o Ministério da Saúde planeja alugar 1 mil leitos de UTI. A pasta iniciou ontem estudos para que em até 40 dias seja concluída uma licitação. Cada leito pode custar entre R$ 15 mil e R$ 20 mil, segundo estimativa do órgão.

A partir de segunda-feira (03), além do instituto Fiocruz (RJ), os laboratórios dos institutos Adolfo Lutz (SP) e Evandro Chagas (PA) começarão a fazer exames mais detalhados sobre coronavírus.

"Nova fase da epidemia, com a declaração de emergência de saúde pública e fizemos estudos das recomendações", disse o secretário de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Compra de máscaras

O governo vai lançar um edital para contratação emergencial de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) de material para proteção de profissionais de saúde na rede pública. O valor estimado de gastos não foi apresentado pelo governo.

A contratação emergencial (uma modalidade de certame público que agiliza a escolha do fornecedor) será para aquisição de máscaras cirúrgicas comuns e do modelo MP 95 (diferenciada, pois mesmo quando úmida não permite a passagem do vírus), gorro, protetor facial e luvas.

"Dentro do rito que a lei prevê. Uma aquisição, relativamente normal. No edital sairá a lista de itens e os quantitativos que serão adquiridos. E daremos publicidade a tudo que for feito", considerou o diretor de logística do ministério, Roberto Dias.

O objetivo é ter os materiais nos próximos 15 dias.

Campanha de alerta

Nos próximos dias, o governo vai intensificar campanhas em televisões, mídias sociais e terminais de transporte (como aeroportos) com orientações para prevenção de contágio. Serão apresentadas informações para prevenção como lavar constantemente as mãos, cobrir boca e nariz ao espirrar, manter ambientes bem ventilados.

UOL Explica - O que é o coronavírus?

Saúde