PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Governadores da Amazônia pedem equipamentos médicos à China por coronavírus

20.nov.2019 - Antonio Waldez Góes da Silva, governador do Amapá - Mateus Bonomi - 20.nov.2019/Agif/Estadão Conteúdo
20.nov.2019 - Antonio Waldez Góes da Silva, governador do Amapá Imagem: Mateus Bonomi - 20.nov.2019/Agif/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

23/03/2020 08h58

Os governadores dos estados que compõem o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal pediram ajuda para a China para conter o avanço do novo coronavírus.

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), informou ontem nas redes sociais que os mandatários solicitaram o apoio do governo chinês no fornecimento de materiais médicos, insumos e equipamentos, em especial leitos de UTI e respiradores.

"Hoje (ontem), enviei um ofício em nome do Consórcio de Governadores da Amazônia para ajudar a conter o coronavírus em nossa região. Oficializei o pedido de ajuda ao embaixador chinês Yang Wanming para nossa região", escreveu Góes no Twitter.

"O povo chinês é exemplo para o mundo inteiro neste momento difícil. Temos uma relação de respeito e admiração e estamos certos de que podemos contar com os chineses para vencer esse desafio", acrescentou o governador.

Berço da pandemia do novo coronavírus, a China anunciou hoje que não registrou novos casos locais de contágio nas últimas 24 horas, mas constatou 39 infecções procedentes do exterior.

Boletim divulgado ontem pelo Ministério da Saúde mostrou que o número de casos confirmados no Brasil subiu para 1.546. Já o número de mortos subiu para 25.

Com a confirmação de dois casos em Roraima, o coronavírus já chegou a todos os estados do Brasil. A região Norte, que no sábado tinha 2,3% dos casos, pulou de 26 para 49 e passou a representar 3,2% do total nacional. O estado do Amazonas saltou de 11 para 26 em um dia, mais que dobrando as ocorrências.

Coronavírus