PUBLICIDADE
Topo

Mandetta: Bolsonaro citar hospitais vazios mostra sucesso do isolamento

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

02/04/2020 18h22

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, comentou hoje a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que mais cedo afirmou não ter identificado nenhum hospital lotado por causa do novo coronavírus.

O comentário de Bolsonaro, feito a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, foi uma forma de o presidente voltar a por em dúvida as medidas de isolamento social, defendidas pelo Ministério da Saúde e por autoridades médicas em todo o mundo.

O ministro Luiz Henrique Mandetta voltou a defender o isolamento e disse que se os hospitais estão vazios como diz o presidente, é porque as medidas de isolamento social estão dando certo e conseguindo reduzir a velocidade de transmissão do vírus.

"Acho que o presidente esta constatando uma coisa muito boa, que nós estamos conseguindo evitar que eles estejam superlotados", disse Mandetta. "Fico muito feliz de o presidente estar constatando que as medidas estão conseguindo segurar uma espiral de casos", afirmou o ministro.

O temor das autoridades de saúde é que um aumento repentino no número de caso leve a um colapso na capacidade de atendimento dos hospitais. Por isso o Ministério tem defendido as medidas de isolamento social como forma de fazer com que menos casos surjam a cada dia.

Em todo o país, governadores tem suspendido aulas, fechado parte do comércio e recomendado que as pessoas fiquem em casa sempre que possível.

Na manhã de hoje, Bolsonaro voltou a duvidar das justificativas que levaram países em todo o mundo a adotar as medidas de distanciamento social.

Como já explicaram a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o próprio Ministério da Saúde, o isolamento é importante para segurar a expansão da epidemia e, assim, evitar o colapso dos hospitais.

"Eu desconheço qualquer hospital que esteja lotado, muito pelo contrário. Tem um hospital no Rio de Janeiro, um tal de Gazolla, que se não me engano tem 200 leitos, mas só tem 12 ocupados até agora", afirmou, sem explicar de onde tirou esses números e possivelmente fazendo referência ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (Hospital de Acari).

Coronavírus