PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

São Paulo tem ao menos 31 cidades que não chegam a 50% de isolamento

04.abr.2020 -- Agentes da Guarda Municipal são vistos em pontos estratégicos do calçadão para abordar e orientar as pessoas sobre a importância do isolamento social, em Santos, no litoral de São Paulo; cidade está abaixo da média estadual de isolamento - Guilherme Dionízio/Estadão Conteúdo
04.abr.2020 -- Agentes da Guarda Municipal são vistos em pontos estratégicos do calçadão para abordar e orientar as pessoas sobre a importância do isolamento social, em Santos, no litoral de São Paulo; cidade está abaixo da média estadual de isolamento Imagem: Guilherme Dionízio/Estadão Conteúdo

Marcelo Oliveira

Do UOL, em São Paulo

15/04/2020 18h17

Resumo da notícia

  • Entre 104 cidades monitoradas no estado de São Paulo, 31 não atingiram a média de 50% do isolamento
  • Das 31 cidades abaixo da média, 18 têm população superior a 200 mil habitantes
  • As piores cidades do ranking foram Limeira, Catanduva e Ribeirão Preto
  • Ribeirão Preto é o terceiro polo de covid-19 no estado, em números de casos absolutos e por 100 mil habitantes

Quase 30% das cidades monitoradas pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo (SIM-SP) não atingiram ontem a média de 50% de isolamento da população. Da lista de 104 cidades, 31 ficaram abaixo dessa média. O dado foi divulgado hoje (15).

Segundo divulgado pelo governo de São Paulo, o ideal é que o isolamento social se mantenha na casa dos 70%, para que o número de leitos dê conta da população infectada pela covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e para evitar que o sistema de saúde entre em colapso

No domingo de Páscoa (12), o estado atingiu a média de 59% de isolamento, o melhor desempenho desde que o monitoramento começou a ser divulgado, no dia 9 de abril. Na segunda (13) e na terça (14), a média estacionou em 50%.

Em parceria com operadoras de celular que atuam no estado, a central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.

Lista tem 18 cidades grandes

Das 31 cidades que ficaram abaixo da média de 50% de isolamento, 18 têm mais de 200 mil habitantes.

Confira a lista completa a seguir (cidades com o sinal * têm mais de 200 mil habitantes):

*Campinas, 48%
*Ribeirão Preto, 43%
*Sorocaba, 49%
*São José do Rio Preto, 45%
*Santos, 48%
*Jundiaí, 48%
*Piracicaba, 48%
*Bauru, 46%
*Franca, 45%
*Limeira, 42%
*Taboão da Serra, 49%
*Sumaré, 49%
*Barueri, 46%
*Embu das Artes, 49%
*Americana, 48%
*Marília, 48%
*Araraquara, 46%
*Presidente Prudente, 44%
Araçatuba, 44%
Santa Bárbara d´Oeste, 46%
Itu, 49%
Bragança Paulista, 48%
São Caetano do Sul, 49%
Barretos, 48%
Catanduva, 42%
Várzea Paulista, 45%
Itatiba, 47%
Assis, 48%
Itapeva, 49%
Matão, 46%
Jaboticabal, 44%

Santos, Ribeirão Preto e Campinas são polos da doença

Das cidades que integram a lista acima, Santos, Ribeirão Preto e Campinas estão entre os maiores polos regionais de casos de covid-19 no estado, em número absoluto de casos.

Santos, inclusive, tem 62,3 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, o pior índice do estado, acima da capital, que tem 54,7. Nesse ranking, Ribeirão Preto, com 26,1 casos por 100 mil moradores está em terceiro lugar. O interior de São Paulo já registra 28% das mortes por covid-19 no estado.

O cálculo de casos por 100 mil habitantes é do site Covid-19 Brasil, uma iniciativa de cientistas de diversas universidades brasileiras, que analisa os dados e faz projeções sobre a doença no Brasil.

As piores cidades

As três piores cidades, no ranking de adesão ao isolamento no estado de SP, são Limeira (42%), Catanduva (42%) e Ribeirão Preto (43%).

O presidente Jair Bolsonaro é contra as medidas de isolamento para a maior parte da população — ele defende que apenas os grupos de risco devem ficar em casa. Em Ribeirão, Bolsonaro teve 72,2% dos votos no segundo turno das eleições de 2018; em Limeira, 82,3%, e em Catanduva, 78,8%. Limeira é a cidade mais bolsonarista das três, e o presidente teve mais de 70% dos votos já no primeiro turno.

Coronavírus