PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
9 meses

Cientista britânico que apoiou quarentena renuncia após receber amante

O epidemologista birtânico Neil Ferguson quebrou a regra do isolamento e foi denunciado pela imprensa  - Reprodução
O epidemologista birtânico Neil Ferguson quebrou a regra do isolamento e foi denunciado pela imprensa Imagem: Reprodução

Do UOL*, em São Paulo

06/05/2020 14h57

O epidemiologista britânico Neil Fergurson, que desenhou o modelo de quarentena adotado no reino Unido, renunciou à sua posição de conselheiro do governo após furar a quarentena para receber sua amante em casa.

Fergurson lidera o grupo de Imperial College de Londres que fez as projeções que ajudaram a convencer o governo britânico a adotar medidas de isolamento social para evitar o colapso no sistema público de saúde.

O relatório do médico e sua equipe previam cerca de 500 mil mortos se o governo não endurecesse a quarentena.

Em uma nota, Fergurson afirmou que a decisão de receber Antonia Staats em sua casa foi um "erro de julgamento". "Lamento profundamente qualquer ato que tenha minado as mensagens claras sobre a contínua necessidade de distanciamento social para controlar esta epidemia devastadora", completou.

O jornal The Daily Telegraph revelou que pelo menos em duas ocasiões, Staats cruzou toda a cidade de Londres para se reunir com Fergurson na casa dele.

De acordo com as medidas, baseadas nos estudos de Fergurson, as lojas e serviços "não essenciais" foram fechados e os moradores receberam a orientação para não sair de casa, exceto para fazer exercícios e comprar produtos essenciais.

A polícia recebeu poderes para multar as pessoas que não respeitam as regras. O confinamento foi prorrogado por mais três semanas em meados de abril. A imprensa informou que Johnson deve anunciar nos próximos dias a flexibilização das medidas rígidas.

*Com informações da AFP

Coronavírus