PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Cidade de SP falha e não cumpre um dos requisitos para aliviar a quarentena

Profissionais de saúde na UTI do hospital Emílio Ribas, na cidade de São Paulo - Edu Cavalcanti/UOL
Profissionais de saúde na UTI do hospital Emílio Ribas, na cidade de São Paulo Imagem: Edu Cavalcanti/UOL

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

20/05/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Para poder flexibilizar a quarentena, uma cidade precisa de 14 dias seguidos de queda de novos casos da covid-19
  • São Paulo tem zero dias acumulados e faltam 12 dias para a data final da quarentena, ou seja, a cidade não cumprirá o parâmetro
  • Os demais requisitos são UTI com menos de 60% de ocupação e isolamento social mínimo de 55%, dois critérios que não são cumpridos hoje

A quarentena em vigência no estado de São Paulo vale até 31 de maio e qualquer relaxamento da medida passa pelo cumprimento de três critérios de saúde.

Um deles é a "redução sustentada do número de novos casos por 14 dias", ou seja, uma queda diária de casos de covid-19 durante duas semanas. Entretanto, esse critério não pode ser mais alcançado na capital em maio. A contagem de sequência de dias com diminuição de casos está em zero na cidade, e faltam 12 dias para a quarentena acabar, o que significa que não há condições de atender a este requisito.

A falta de tempo hábil ocorre porque o boletim divulgado ontem pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informava que são 40.750 casos do novo coronavírus confirmados na cidade. O valor significa alta de cerca de 4% em relação aos 39.163 habitantes com covid-19 na segunda-feira (18). Nas 24 horas anteriores, o número de casos subiu 1,4%, o que mostra aumento na velocidade de contágio.

O dado pode conter a subnotificação do final de semana, por comparar a segunda-feira com o domingo. Mas ontem houve o recorde de mortes para intervalo de 24 horas no estado, com registro de 324 óbitos. O número de vítimas fatais do novo coronavírus no estado chegou a 5.147. Até ontem, eram 3.047 vítimas fatais na capital.

E a cidade de São Paulo é o epicentro nacional da pandemia. O Centro de Contingência ao Coronavírus informou que o estado continua em fase de aceleração da curva de infecção, e seu coordenador Dimas Covas afirmou que "o vírus está vencendo a guerra". Existe um temor de que os números avancem no interior e no litoral paulista, com a decretação do megaferiado na capital a começar hoje.

Outros dois fatores de flexibilização também estão críticos

O anúncio dos parâmetros para retomada de pelo menos parte das atividades foi divulgado em 8 de maio no Plano São Paulo. Ele criou as regras para a volta do comércio que será regionalizado. Os outros dois critérios estabelecidos são: isolamento social acima de 55% e taxa de ocupação de leitos de UTI destinados a pacientes com covid-19 inferior a 60%.

Estes requisitos também não estariam dentro dos parâmetros hoje na cidade de São Paulo. O isolamento social só atinge o mínimo exigido em feriados e finais de semana. E os leitos de UTI da rede municipal e estadual no município beiram os 90% de ocupação há semanas.

Responsável por decretar o começo e o final da quarentena, o governo do Estado foi consultado pela reportagem do UOL sobre a capital não conseguir atender ao critério de "redução sustentada do número de novos casos por 14 dias", mas preferiu não se manifestar. A prefeitura também foi acionada e não respondeu. Caso se manifestem, o posicionamento será acrescentado a esta matéria.

Coronavírus