PUBLICIDADE
Topo

Gabbardo: 'Não tem sentido parar local onde a circulação do vírus é baixa'

3.abr.2020 - João Gabbardo deixou o Ministério da Saúde após a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, demitido em abril - Marcello Casal Jr./Agência Brasil
3.abr.2020 - João Gabbardo deixou o Ministério da Saúde após a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, demitido em abril Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 22h00

O secretário-executivo do Centro de Contigência do combate ao coronavírus de São Paulo, João Gabbardo, defendeu hoje que o estado não adote um único protocolo de reabertura pós-quarentena para todos os municípios.

"Os estados não têm a mesma situação. Nós estamos aqui numa situação de que apenas uma pessoa em 500 testa positivo para coronavírus, é muito baixo. Então não tem sentido, em um local onde a circulação do vírus é tão baixa, ficar tudo paralisado", disse, à GloboNews.

Gabbardo defendeu o programa de reabertura apresentado nesta semana e acredita que, para definir reabertura ou não de determinados locais, é necessário identificar duas questões fundamentais: a velocidade da infecção e a capacidade dos leitos hospitalares.

"Se a velocidade [da infecção] mostra diminuição de casos e óbitos e o estado tem capacidade de atendimento, não tem por que restringir mais. Cada local tem que ser tratado conforme sua característica. A ideia é monitorar e, em uma semana, corrigir a cor da bandeira da região de acordo com esses critérios", disse.

O ex-secretário defendeu, também, a reabertura de shoppings na capital ainda em junho.

"A abertura de shoppings vai ser com uma capacidade pequena, com muitos critérios de segurança, só pode entrar na loja 2 ou 3 pessoas, há uma série de medidas que vão criar um distanciamento e impedir a disseminação da doença", explicou.

Ele deixou o Ministério da Saúde após a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, demitido em abril.

Coronavírus