PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
2 meses

Doria diz que SP terá 10,8 milhões de doses de CoronaVac até 31 de dezembro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/12/2020 12h53Atualizada em 21/12/2020 22h54

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que o estado vai receber na quinta-feira, 24 de dezembro, um lote com matéria-prima para mais 5,5 milhões de doses da vacina CoronaVac, a vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butatan. Com o novo lote, o tucano afirmou que, até 31 de dezembro, São Paulo terá 10,8 milhões de doses disponíveis.

Apesar da produção das vacinas, o governo de São Paulo ainda não apresentou os estudos sobre a fase 3 de testes da CoronaVac para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A taxa de eficácia do imunizante também não foi divulgada. Para que a vacina seja aplicada, é preciso registro na agência regulatória.

"[O novo lote de matéria-prima] chegará em mais um voo vindo da Sinovac, em Pequim, representando o maior lote de vacinas já desembarcado no Brasil. E também no continente latino-americano", afirmou Doria, hoje, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo a equipe do governador, os resultados da fase 3 dos testes da CoronaVac devem ser enviados à Anvisa na quarta-feira (23), ao mesmo tempo em que serão apresentados à agência chinesa. A data de entrega desses estudos já foi adiada duas vezes.

"O estudo clínico foi encerrado com mais de 13 mil participantes incluídos e os dados desse estudo foram então submetidos à análise que envolve a decisão, vamos dizer assim, a recomendação final e apresentação dos dados pelo comitê internacional", disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

"O anúncio será feito no dia 23, em um horário compatível com as duas cronologias. Na China, o órgão regulatório receberá dados ao mesmo tempo em que a nossa Anvisa também receberá esses dados. E o órgão regulatório chinês poderá rapidamente dar o registro dessa vacina."

O início da vacinação no estado de São Paulo está mantido no estado para o dia 25 de janeiro —na 1ª fase, cerca de 9 milhões de pessoas devem ser imunizadas, segundo previsão do governo. Como cada pessoa precisa de duas doses, deverão ser usadas 18 milhões de doses.

Caso seja aprovada pela Anvisa, a CoronaVac pode entrar também no PNI (Plano Nacional de Imunização), do Ministério da Saúde, que ainda não tem uma data para início de vacinação. Outros estados e países também estão negociando com o governo paulista.

O Butantan afirma que a fábrica tem capacidade para produzir até 1 milhão de doses da vacina por dia.

Festas de fim de ano restritas

Na coletiva, a equipe do governador pediu para que as pessoas "colaborem com as regras sanitárias" e que não promovam aglomerações nas festas de fim de ano. O infectologista Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde, afirmou que nas últimas quatro semanas epidemiológicas, o estado teve um aumento de 54% nos casos confirmados.

"A ocupação dos leitos de UTI mostraram, no estado de São Paulo, uma taxa de ocupação de 61,8%, enquanto que na Grande São Paulo este índice ainda foi maior, de 66,8%", completou. "O vírus está cada vez mais próximo de todos nós."

Mais seringas e agulhas

Ainda sobre as vacinas, o governador Doria ainda informou que o estoque de seringas e agulhas está sendo ampliado para evitar o desabastecimento de equipamentos do tipo.

"São Paulo está adicionando mais 100 milhões de seringas e 100 milhões de agulhas ao seu estoque para a vacinação contra a covid-19. Iniciamos o processo de compra para a aplicação da vacina do Butantan, adicionalmente ao estoque já disponível na Secretaria da Saúde do estado. Nós estamos ampliando o estoque para termos certeza, convicção de que nenhum insumo faltará para o sistema médico do estado", disse Doria.

Estes equipamentos, ainda segundo o tucano, serão distribuídos nos 645 municípios do estado por meio do programa estadual de imunização.

Pesquisadores e profissionais de saúde já afirmaram que pode haver risco de desabastecimento de insumos, uma vez que diversos países iniciaram a imunização e também precisam de estoque de seringas e agulhas.

Quatro vacinas estão em teste no Brasil. Nenhuma delas foi aprovada pela Anvisa.

Afastamento

Doria anunciou que a partir de amanhã vai tirar dez dias de licença para o convívio com a família. "Fiquei muito ausente da minha família ao longo deste ano", disse o governador.

Durante este período, o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (DEM) assume o cargo de governador até o retorno, programado para o dia 3 de janeiro.

Coronavírus