PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
2 meses

Criciúma: Prefeito fala em 'lockdown sem remuneração' ao permitir licença

Clésio Salvaro anunciou que servidores poderão pedir licença por causa da pandemia, mas não vão receber salário - Reprodução/Decom
Clésio Salvaro anunciou que servidores poderão pedir licença por causa da pandemia, mas não vão receber salário Imagem: Reprodução/Decom

Do UOL, em São Paulo

18/03/2021 11h12Atualizada em 18/03/2021 11h18

O prefeito de Criciúma (SC), Clésio Salvaro (PSDB), anunciou que autorizará servidores do município a pedir licenciamento durante a situação de calamidade pública em Santa Catarina por causa da pandemia do novo coronavírus. Porém, a licença não será remunerada.

Em vídeo no Twitter, Clésio explicou a medida e falou, com ironia, em "lockdown sem remuneração", fazendo referência à palavra utilizada para um conjunto de medidas que restringem a circulação para evitar a disseminação da doença. Ele disse que tomou a decisão após ouvir questionamentos de servidores sobre o assunto.

"Vocês vão ter lockdown, estou assinando o decreto. Lockdown sem remuneração. Não quer vir trabalhar, não tem problema. Quer se cuidar, ótimo, vai ficar em casa. E não vai receber salário. É muito fácil pedir lockdown quando a geladeira está cheia e o salário garantido", disse.

O prefeito ainda descartou adotar um lockdown na cidade para conter a epidemia de covid-19. No momento, a cidade tem 239 pacientes internados nos hospitais por causa da doença. Durante a pandemia, 309 pessoas morreram de covid-19.

"As pessoas perguntam se vai ter lockdown, eu digo não. Pelo menos no que depender de mim. Tudo é atividade essencial, trabalhar com todos os cuidados sanitários, colocando a vida em primeiro lugar, saúde sempre com cuidados redobrados. Não há necessidade de parar com a economia, precisa continuar trabalhando", disse.

O que é lockdown?

Epidemiologistas têm recomendado lockdown como forma de controlar a disseminação do novo coronavírus e diminuir a pressão no sistema hospitalar, que está entrando em colapso em muitas cidades do Brasil. Araraquara, no interior de São Paulo, apresentou melhora na epidemia com a adoção da medida, também utilizada em países da Europa como Portugal e Reino Unido

Lockdown refere-se ao bloqueio total de uma região, imposta pelo Estado ou pela Justiça. É a medida mais rígida adotada durante situações extremas, como uma pandemia.

O cidadão é restrito de circular áreas públicas sem motivos emergenciais, cruzar fronteiras e muitas vezes pode haver toque de recolher. A fiscalização é feita pelo governo.

Reação

De acordo com a prefeitura, o gestor de cada pastada administração pública deverá analisar a possibilidade de afastamento do servidor, sem prejuízo ao serviço público. Caso o pedido seja aceito e o quadro remanescente não puder desempenhar as funções, o gestor deve solicitar contratação temporária para suprir a ausência.

Em entrevista para o site local Engeplus, a presidente do Siserp (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região), Jucélia Vargas, rebateu o prefeito e disse que os servidores pediram para que os servidores do grupo de risco não trabalhassem presencialmente.

"Nem um servidor público está pedindo lockdown para ficar em casa vendo televisão e comendo pipoca. Estamos solicitando que os servidores que são do grupo de risco tenham a possibilidade de trabalhar de forma remota, mas ninguém está dizendo que quer lockdown. O prefeito faz um vídeo ridículo, irresponsável, apenas desviando o foco da sua irresponsabilidade de não dar conta da saúde do município", disse.

Coronavírus