PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
6 meses

SP bate recorde ao registrar 1.021 novas mortes por covid-19 em um dia

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/03/2021 10h11

O estado de São Paulo atingiu um novo recorde de mortes por covid-19 registradas nas últimas 24 horas. Foram 1.021 óbitos, o pior número desde 16 de março, quando o registro foi de 679 mortes. Segundo o governo, o número de hoje "inclui dados cumulativos deste final de semana, considerando que houve média de 94 cadastros por dia entre domingo (21) e segunda (22)".

São Paulo havia registrado 44 mortes nas 24 horas compreendidas entre domingo e segunda, número muito abaixo dos dias anteriores.

Ao todo o estado tem 68.623 mortes por covid-19. O número de casos registrados em 24 horas chegou a 20.942, totalizando 2.332.043 infecções até agora.

Recentemente o secretario de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, chamou atenção ao afirmar que o estado podia alcançar as 800 mortes diárias por covid-19. Depois ele comentou que esperava que isso não aconteceria por causa das medidas tomadas pelo governo, que aplicou a fase emergencial desde a semana passada, com restrições inclusive para serviços considerados essenciais. Hoje, Jean comentou que o recorde de mortes não reflete o momento atual.

"Esses dados chocam, mas não retratam essas 24 horas. São dados que eram represados, retesados, no final de semana, e que foram aportados de forma abrupta agora nos dados da terça-feira. Talvez tenhamos ainda uma média de outros casos ainda um pouco mais elevados em relação à média da semana passada, novamente por esse aporte tardio", declarou Jean, em entrevista à GloboNews.

Ontem, São Paulo registrou um novo recorde de pessoas internadas por causa de covid-19. São 29.039 nos hospitais, sendo que 12.168 estão em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 91,9% no Estado e de 91,6% na Grande São Paulo.

O estado tem confirmado mortes de pessoas que não receberam atendimento médico adequado. Na semana passada, um jovem de 22 anos, infectado por covid-19, estava aguardando um leito de UTI na zona leste da capital, mas não conseguiu e morreu. Ontem uma mulher morreu em Guaianases, de covid-19, após ter complicações por falta de sedativos.

A capital de São Paulo registrou no domingo um recorde de enterros, desde o início da pandemia. Foram 373 sepultamentos em cemitérios públicos, privados e crematórios.

Diante dessa grave situação, novas medidas de restrição já foram cogitadas, mas dificilmente serão aplicadas agora. O governo de São Paulo e o Centro de Contingência da covid-19 entendem que, por enquanto, é preciso esperar para avaliar os resultados da fase emergencial.

"Completamos agora uma semana de fase emergencial. Esperamos ver, daqui para frente, o impacto em números de transmissão, casos e óbitos. Precisamos que as pessoas sigam as recomendações sanitárias", pediu Paulo Menezes, médico coordenador do Centro de Contingência.

A pandemia de covid-19 está grave no país todo. O Brasil chegou ontem ao 24º dia consecutivo de recorde na média móvel de mortes pela covid-19 (2.298 óbitos) e ultrapassou os 12 milhões de infectados pelo coronavírus.

Em 24 horas foram registradas 1.570 mortes pela doença e 55.177 testes positivos para o novo coronavírus no país. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Saúde