PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
8 meses

Onyx critica lockdown e diz: 'pulga e formiga podem transportar o vírus'

Onyx Lorenzoni criticou lockdown, medida que é defendida como forma de frear o crescimento exponencial de casos de covid-19 pelos principais especialistas - Isac Nóbrega/PR
Onyx Lorenzoni criticou lockdown, medida que é defendida como forma de frear o crescimento exponencial de casos de covid-19 pelos principais especialistas Imagem: Isac Nóbrega/PR

Do UOL, em São Paulo

25/03/2021 11h21Atualizada em 26/03/2021 07h12

O ministro da secretaria-geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, criticou o isolamento social e disse que o lockdown não funciona, em entrevista à Rádio Jovem Pan. Onyx ainda argumentou que animais e insetos continuam circulando mesmo durante medidas mais restritivas, sem deixar claro se relacionava a afirmação à transmissão da doença.

"Muitos ainda insistem numa ferramenta chamada lockdown que já está provada por várias experiências no mundo que é ineficiente. Alguém consegue impedir nas áreas urbanas o passarinho, o cão de rua, o gato, o rato, a pulga, a formiga, o inseto, eles se locomovam? Alguém consegue fazer o lockdown dos insetos? É claro que não. E todos eles transportam o vírus, não são contaminados, mas podem transportar o vírus. Podem, é uma possibilidade", disse.

No entanto, vale ressaltar que até o momento não existe indicações de transmissão de coronavírus de animais para humanos, apesar de o vírus já ter sido encontrado em diversas espécies. Além disso, é importante dizer que o lockdown funciona na redução de casos e mortes.

Durante a entrevista, Onyx ainda distorceu uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) dizendo que ela transformou estados e municípios em "minirreinos". O teor de declaração é o mesmo utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que já afirmou diversas vezes que foi impossibilitado de tomar qualquer ação no combate à pandemia, mas isso é mentira.

Em abril do ano passado, de forma unânime, o STF decidiu que governadores e prefeitos têm poder para determinar medidas restritivas na pandemia, definindo quais atividades podem ser suspensas e quais serviços deixam de funcionar, mas não tirou a autonomia do Executivo federal nas estratégias de contenção da crise sanitária.

"Temos hoje no Brasil, por causa de uma decisão que foi tomada pelo STF, a constituição de minirreinos. Cada estado, cada unidade federada ou prefeitura se tornou num pequeno reino", disse Onyx.

"Muitas vezes temos reis sábios, e muitas vezes temos reis autoritários, déspotas, que imaginam que vão combater o vírus combatendo o trabalho das pessoas, combatendo o sustento das pessoas, o alimento das pessoas. Eu considero todos eles muito tolos, porque não são inteligentes", disse, sem citar nomes.

Lockdown

Na sequência, Onyx usou a palavra "lockdown" para se referir a medidas mais restritivas que estão sendo tomadas por governadores e prefeituras. Porém, vale observar que a definição sobre o termo remete ao bloqueio de uma região na qual o cidadão é restrito de circular áreas públicas sem motivos emergenciais. Até o momento, poucas cidades e estados de fato decretaram um lockdown no Brasil.

Onyx ainda distorceu uma frase do governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante o período crítico da pandemia no estado americano.

"Lembra do Cuomo, governador de Nova York, que no ano passado dizia que o lockdown não funcionava lá porque as pessoas adoeciam dentro de casa. Quem levava a doença para dentro de casa além das pessoas? Tudo isso que já falei", disse Onyx.

Na verdade, em meio ao lockdown no estado, Cuomo citou que 66% de novos pacientes da covid-19 estavam isolados em casa. Porém, ele fez a afirmação pedindo para que as pessoas redobrassem os cuidados para evitar a possibilidade de levarem o vírus para casa quando tivessem que sair.

Exemplo de Araraquara

Onyx contraria os principais epidemiologistas do mundo ao questionar o lockdown como ferramenta emergencial. Estudos mostram que o lockdown é uma medida eficaz para reduzir casos e, consequentemente, mortes.

No Brasil, um exemplo dos efeitos da medida é Araraquara, que viu o número de casos, mortes e internações caírem após a decretação de lockdown em 21 de fevereiro.

No final da semana passada, o prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), reconheceu que o lockdown de pouco mais de uma semana teve efeito no sistema de saúde da cidade e ajudou a encerrar a fila por internações em casos de covid-19. "A média móvel (de casos) caiu 53%, as internações caíram 30%", declarou ele.

Sobre as mortes, reconheceu que elas ainda não caíram, mas por serem reflexo de um cenário anterior ao fechamento das atividades.

Especialistas ouvidos pelo UOL apontam que medidas restritivas não têm efeito imediato sobre óbitos.

Coronavírus