PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
3 meses

Saúde coloca vida de brasileiros em risco com nota técnica, diz Chico Alves

Colaboração para o UOL, no Rio

26/01/2022 19h51Atualizada em 26/01/2022 20h27

O colunista do UOL Chico Alves criticou, no UOL News desta noite, a nota técnica emitida pelo Ministério da Saúde dizendo que a hidroxicloroquina tem eficácia contra o novo coronavírus e as vacinas contra a covid-19 não.

O documento assinado pelo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde da pasta, Hélio Angotti Neto, foi divulgado na sexta-feira (21). Hoje, ele foi republicado no DOU (Diário Oficial da União), sem os trechos que traziam essas duas informações.

"Essa nota agora fica no limbo. Isso é risco de vida. É o Ministério da Saúde, que deveria colaborar para proteger as famílias brasileiras, desestimulando a vacinação o tempo todo; sempre coloca dúvidas sobre a eficácia da vacina, a segurança da vacina também", afirmou Chico Alves ao apresentador do Canal UOL Diego Sarza.

A divulgação da nota gerou uma enxurrada de críticas, incluindo de várias sociedades médicas. Mais cedo, a ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), deu cinco dias para Angotti explicar o documento. A ordem se estende ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Isso é risco de vida. Risco de vida para os adultos, para as crianças; colocar crianças em risco no meio de uma pandemia por causa de pendengas ideológicas, convicções ideológicas... é uma ilusão que eles colocaram na cabeça e ficam impingindo isso ao Brasil inteiro, e sendo no Ministério da Saúde é mais grave ainda, porque as pessoas ficam em risco
Chico Alves

Apesar de o Ministério da Saúde defender, através da nota, o uso da hidroxicloroquina contra a covid-19, a OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda seu uso para o tratamento da doença, já que não há eficácia comprovada. Já as vacinas produzidas por diferentes laboratórios têm a eficácia atestada por diversos órgãos de saúde espalhados pelo mundo.

"Veio esse Hélio Angotti, junto certamente com o conhecimento do ministro Marcelo Queiroga, ainda falar de cloroquina em janeiro de 2022, um medicamento que já está banido no mundo inteiro. A gente está no máximo de atraso que é ainda falar de cloroquina", afirmou Chico Alves.

x

Coronavírus