PUBLICIDADE
Topo

Chineses com HIV correm risco de ficar sem remédios devido ao coronavírus, alerta UNAids

Teste de HIV - Getty Images
Teste de HIV Imagem: Getty Images

Kate Kelland e Roxanne Liu

Londres e Pequim

19/02/2020 13h11

Os portadores de HIV da China correm o risco de ficar sem seus remédios anti-Aids porque quarentenas e interdições adotadas para conter o surto de coronavírus estão impedindo o reabastecimento de estoques essenciais de medicamentos, alertou hoje o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAids).

A UNAids disse que entrevistou mais de mil soropositivos chineses e descobriu que a epidemia de coronavírus, que desencadeia uma doença nomeada oficialmente por covid-19, está tendo um "grande impacto" em suas vidas.

Até agora, o surto já infectou mais de 74 mil pessoas na China e matou mais de 2.000.

Quase um terço dos portadores de HIV entrevistados pela UNAids disse que as interdições e restrições à movimentação na China os sujeitam ao risco de ficar sem tratamento nos próximos dias.

Destes, quase metade - ou 48,6% - disse que não sabe onde buscar a próxima dose de sua terapia antirretroviral.

"As pessoas que vivem com o HIV precisam continuar a receber os remédios de HIV de que precisam para mantê-las vivas", disse a diretora-executiva da UNAids, Winnie Byanyima, em um comunicado. "Precisamos fazer com que todos que precisam de tratamento para HIV o recebam, não importa onde estejam."

A UNAids diz que, de acordo com fontes do governo chinês, havia cerca de 1,25 milhão de soropositivos no país no final de 2018.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Saúde