Condenado à morte nos EUA é declarado inocente após 39 anos na prisão

Em Washington

  • Phil Long/AP

    Ricky Jackson, 57, sorri ao ser liberado de uma sentença de morte em Cleveland (EUA)

    Ricky Jackson, 57, sorri ao ser liberado de uma sentença de morte em Cleveland (EUA)

Um americano condenado à morte foi absolvido e libertado nesta sexta-feira (21) em Cleveland, Ohio (norte), após passar 39 anos na prisão, informaram fontes da Justiça.

Ricky Jackson, um negro americano de 57 anos, tinha sido injustamente acusado de assassinato em 1975, com base no falso testemunho de um adolescente de 12 anos, que, ao atingir a idade adulta, revelou que havia mentido e que não tinha visto o crime.

O prisioneiro foi condenado à morte por ter espancado, com dois cúmplices, jogado ácido e disparado duas vezes contra um homem que tinha ido cobrar o aluguel de uma loja. O autor dos disparos também feriu gravemente a mulher do proprietário do local.

"Todas as acusações foram retiradas e (Jackson) foi libertado" às 9h (12h no horário de Brasília), declarou à AFP Joseph Frolik, diretor de comunicações do gabinete do procurador do condado de Cuyahoga.

Jackson foi absolvido com base no novo "relato da testemunha, que tinha 12 anos" no momento dos fatos, acrescentou o funcionário.

De acordo com o Centro de Informação sobre a Pena de Morte, Jackson é o 148º prisioneiro a ser absolvido estando no corredor da morte nos Estados Unidos desde 1973 e o quinto este ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos