Topo

Panamá troca informações com EUA sobre Odebrecht

Paulo Whitaker/Reuters
Imagem: Paulo Whitaker/Reuters

No Panamá

2016-12-30T22:58:00

30/12/2016 22h58

A troca de informações entre procuradores do Panamá e dos Estados Unidos sobre subornos pagos pela Odebrecht foi "importante", informou nesta sexta-feira (30) a Procuradoria Geral do Estado panamenho.

Procuradores panamenhos retornaram nesta sexta dos Estados Unidos, para onde viajaram após Washington revelar - na semana passada - que a Odebrecht pagou milhões de dólares em subornos no Panamá para obter contratos de obras públicas.

Durante as reuniões nos Estados Unidos entre procuradores dos dois países houve "um intercâmbio importante de informação extraída das investigações" envolvendo este caso, destacou a Procuradoria.

Este intercâmbio de informação ajudará "ao melhor desenvolvimento das investigações", acrescenta a Procuradoria, que não dá maiores detalhes "devido à complexidade do caso" e pelo "segredo da informação".

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos divulgou na semana passada um relatório segundo o qual a Odebrecht pagou subornos em nove países latino-americanos no valor de centenas de milhares de dólares para obter contratos.

O documento revela que, no Panamá, a construtora brasileira pagou entre 2010 e 2014 mais de 59 milhões de dólares em subornos em troca de contratos avaliados em mais de 175 milhões de dólares.

O governo panamenho anunciou na terça-feira (27) que proibirá a Odebrecht de participar de licitações até que colabore de forma "efetiva e eficaz" com a Justiça panamenha e "garanta o pagamento das quantias que deverá restituir ao Estado" pelos prejuízos causados.

O Panamá criou uma procuradoria especial anticorrupção para investigar os subornos pagos pela Odebrecht. A unidade ficará a cargo das procuradoras anticorrupção Tania Sterling, Vielka Broce, Ruth Morcillo e Zuleika Moore.