Após desistir de seu plano de reforma de saúde, Trump diz que o Obamacare fracassará

Em Washington

  • Kevin Lamarque/Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou neste sábado (25) a atacar o sistema de saúde herdado de seu antecessor, Barack Obama, afirmando que o Obamacare "explodirá", e prometeu aos americanos uma nova lei, um dia após fracassar o seu projeto de reforma.

Após várias horas de silêncio, o presidente dos Estados Unidos recorreu ao Twitter para denunciar o sistema de seguro de saúde implementado por Obama e rejeitado pelos republicanos.

"Obamacare vai explodir e nós vamos nos unir para construir uma super lei de saúde para as pessoas. Não se preocupem!", escreveu na rede social.

O presidente sofreu uma dura derrota com a retirada na sexta-feira, no último minuto, da sua proposta de reforma do sistema de saúde, ao não conseguir os votos necessários para aprová-lo.

Trump assumiu a presidência prometendo aplicar suas qualidades como negociador, adquiridas ao longo de sua carreira empresarial, para conseguir a aprovação de seus projetos de governo.

O presidente americano disse estar "decepcionado" e "um pouco surpreso", mas evitou atacar os legisladores do seu partido e culpou a minoria democrata.

O jornal The Washington Post atacou frontalmente o presidente este sábado em seu editorial.

"Na próxima vez que alguém garantir que um empresário administrará melhor o país do que um político experiente, lembre desta semana", afirmou.

A lei "Obamacare", aprovada em 2010, estendeu a cobertura de saúde a milhões de americanos, mas enfrenta problemas de financiamento.

A reforma proposta pelos republicanos ameaçava deixar de fora do sistema de saúde cerca de 24 milhões de pessoas até 2026.

"Fazer campanha é fácil"

Trump também garantiu na sexta-feira que vai virar a página e se concentrar em seu próximo projeto: uma reforma tributária que levaria a uma redução dos impostos.

"Eu diria que vamos caminhar rápido, bem rápido, no sentido dos cortes de impostos e da reforma fiscal. É o que vem", declarou à imprensa.

O presidente foi neste sábado para seu clube de golfe na Virgínia, perto de Washington, onde pretende reunir-se com assessores.

Apesar de querer mudar de tema o mais rápido possível, o fracasso da reforma do sistema de saúde foi a segunda vez que Trump se vê obrigado a recuar sobre um grande projeto em suas nove semanas de governo, após o bloqueio judicial de seus decretos migratórios.

"Aprendemos coisas sobre regras muito obscuras, tanto no Senado como na Câmara", reconheceu na sexta-feira. "Para mim certamente tem sido uma experiência interessante".

Após essas declarações, os opositores foram firmes nas críticas.

O jornal The New York Times, por exemplo, denunciou a precipitação dos republicanos, que "enviaram uma paródia de lei sem passar pelo trabalhoso processo de audiências e de construção de alianças".

"O resultado de sexta-feira é bom para o país" porque mantém o Obamacare, "mas (é) humilhante para os dirigentes republicanos", avaliou. "Para Trump é uma lembrança bastante brutal de que fazer campanha é a parte mais fácil".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos