PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Registros de celular apoiam reunião entre Cohen e russos em Praga

27/12/2018 20h17

Washington, 27 dez 2018 (AFP) - Registros de sinal de um celular revelam que Michael Cohen esteve na região de Praga durante o verão boreal de 2016, o que apoia a versão de que o ex-advogado de Donald Trump se reuniu com funcionários russos durante a campanha eleitoral, informa nesta quinta-feira o site de notícias McClatchy.

Cohen, que foi condenado a três anos de prisão este mês após se declarar culpado de sonegação fiscal, negava ter viajado a Praga.

Mas a partir de seu julgamento Cohen passou a cooperar com o procurador-especial Robert Mueller, que investiga se a campanha de Trump entrou em conluio com os russos para vencer a eleição.

Os detalhes da cooperação de Cohen não têm sido revelados publicamente e Trump nega qualquer conluio com a Rússia.

"Escutei que #Praga e #RepúblicaTcheca são lindas no verão. Não posso saber porque jamais estive lá. #Mueller sabe de tudo!" - tuitou Cohen após a divulgação da notícia.

A suposta reunião entre Cohen e funcionários do governo russo em Praga foi revelada inicialmente em um documento com material comprometedor compilado pelo ex-espião britânico Christopher Steele.

Segundo o chamado "expediente Steele", Cohen manteve uma reunião clandestina com autoridades do Kremlin em Praga em agosto de 2016 para tratar das ligações ocultas entre membros da campanha de Trump e os russos.

McClatchy, editor do Miami Herald e de outros jornais, informou que o celular de Cohen rastreado trocou sinais com torres de telefonia móvel em Praga no final do verão de 2016.

Segundo McClatchy, tais registros apoiam as "acusações de que Cohen se reuniu secretamente com oficiais russos" em Praga.

Internacional