Topo

Morre chefe da Polícia boliviana que havia se amotinado

O coronel Heybert Antelo morreu após sofrer um acidente de moto há dois dias em meio aos distúrbios na Bolívia - Reprodução/YouTube
O coronel Heybert Antelo morreu após sofrer um acidente de moto há dois dias em meio aos distúrbios na Bolívia Imagem: Reprodução/YouTube

La Paz (Bolívia)

12/11/2019 17h42

O coronel Heybert Antelo, comandante das forças especiais em La Paz, morreu hoje após sofrer um acidente de moto há dois dias em meio aos distúrbios, que levaram à renúncia do presidente boliviano, Evo Morales, informou um oficial.

O chefe da Polícia e sua tropa tinham se amotinado no sábado, após suportarem mais de duas semanas o assédio na praça Murillo, em La Paz, durante as manifestações da oposição que pediam a renúncia de Morales, após sua questionada reeleição no pleito de 20 de outubro.

O coronel Antelo "sofreu um acidente quando sua motocicleta (derrapou) nas pedras na autoestrada (para a cidade vizinha de El Alto) e o uso de dinamite e veículos que o emboscaram, portanto ele sofreu um atentado", disse o vice-comandante da Unidade Tática de Operações Policiais (UTOP) de La Paz, coronel Rojas, que o substituiu no comando.

Antelo estava hospitalizado desde domingo com múltiplas fraturas e lesões nos órgãos internos, segundo seu pai, de mesmo nome, um coronel reformado da Polícia.

Dezenas de homens da UTOP saíram de moto nesta terça levando flores brancas na praça Murillo, onde hastearam a bandeira nacional a meio mastro, em sinal de luto pela morte do comandante.

Vários quartéis da Polícia foram atacados e incendiados ontem à noite especialmente em El Alto por grupos enfurecidos, supostamente leais a Morales, que partiu para o asilo no México em um avião militar enviado pelo país norte-americano.

As UTOP são as forças especiais da Polícia, encarregadas de reprimir manifestações.

Internacional