PUBLICIDADE
Topo

Malásia suspeitou de suicídio do piloto do voo MH370, diz ex-premiê

29.jul.2015 - Pedaços de uma asa foram encontrados na manhã desta quarta-feira (29) na costa da ilha francesa de La Réunion, no oceano Índico. O território fica a leste de Madagascar, relativamente próximo ao local onde teria caído o voo MH370, da Malaysia Airlines, em 8 de março de 2014. No entanto, segundo os investigadores, ainda é muito cedo para dizer se os destroços pertencem ao Boeing 777 da companhia malaia. Os materiais foram achados pela Força Aérea da França, e a polícia da ilha afirma que eles aparentemente ficaram na água por volta de um ano - Yannick Pitou/AFP
29.jul.2015 - Pedaços de uma asa foram encontrados na manhã desta quarta-feira (29) na costa da ilha francesa de La Réunion, no oceano Índico. O território fica a leste de Madagascar, relativamente próximo ao local onde teria caído o voo MH370, da Malaysia Airlines, em 8 de março de 2014. No entanto, segundo os investigadores, ainda é muito cedo para dizer se os destroços pertencem ao Boeing 777 da companhia malaia. Os materiais foram achados pela Força Aérea da França, e a polícia da ilha afirma que eles aparentemente ficaram na água por volta de um ano Imagem: Yannick Pitou/AFP

19/02/2020 06h00

O ex-primeiro-ministro australiano Tony Abbott afirmou que autoridades malaias suspeitaram em um primeiro momento que o piloto do voo MH370 da Malaysia Airlines teria provocado deliberadamente a catástrofe aérea há quase seis anos com um suicídio.

Em 8 de março de 2014, o Boeing 777 da companhia aérea, que decolou de Kuala Lumpur com destino a Pequim com 239 passageiros a bordo, despareceu misteriosamente.

Nenhum rastro da aeronave foi encontrado na zona de busca de 120.000 quilômetros quadrados explorada no sul do Oceano Índico.

A busca marítima, a mais importante da história, foi interrompida em janeiro de 2017. As causas do desaparecimento foram objeto de especulações desde o início. Este é considerado o maior mistério da aviação civil moderna.

Em um documentário exibido pelo canal Sky News, Abbott afirma que nos primeiros dias após o desaparecimento ele recebeu a informação de que a Malásia suspeitava que o comandante havia derrubado o avião de maneira deliberada.

"Entendi claramente que altos funcionários do governo malaio pensaram no início que havia sido um assassinato-suicídio do piloto", disse.

"Não vou dizer quem disse o que para quem", completou.

A família e os amigos do piloto, Zaharie Ahmad Shah, sempre negaram a hipótese. Muitos parentes de vítimas acusaram a companhia aérea de e o governo da Malásia de ocultar informações sobre a tragédia. As autoridades malaias negam.

Internacional