PUBLICIDADE
Topo

Site de roupas fetichistas doa uniformes de médico a hospital britânico

Integrante da equipe médica vestindo uma máscara e rosto e sem roupa de proteção, faz teste para coronavírus em um trabalhador do NHS (Serviço Nacional de Saúde) em uma instalação de drive-in no estacionamento do Chessington World uf Adventures em Chessington, na Grande Londres, em 28 de março de 2020. - GLYN KIRK/AFP
Integrante da equipe médica vestindo uma máscara e rosto e sem roupa de proteção, faz teste para coronavírus em um trabalhador do NHS (Serviço Nacional de Saúde) em uma instalação de drive-in no estacionamento do Chessington World uf Adventures em Chessington, na Grande Londres, em 28 de março de 2020. Imagem: GLYN KIRK/AFP

Da AFP, em Londres

30/03/2020 09h47

Uma loja britânica de trajes e acessórios fetichistas anunciou que doou o estoque de roupas médicas aos funcionários de um hospital, "desesperados" com a falta de material de proteção contra o novo coronavírus.

"Hoje doamos todo o nosso estoque de roupas descartáveis para um hospital do NHS (Serviço Nacional de Saúde)", anunciou a loja on-line MedFet UK em sua conta no Twitter.

"Foram apenas alguns kits, porque não temos grandes estoques. Mas eles [os profissionais da saúde] estavam desesperados, por isso os enviamos gratuitamente", completa a empresa.

A empresa, direcionada a amantes do fetichismo médico, explicou que recebeu uma mensagem de "diretores de compras do NHS de todo o país que tentam obter equipamentos e trajes de proteção básicos".

A Associação Médica Britânica (BMA), sindicato de médicos e estudantes de Medicina, denuncia há vários dias a falta de equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde que estão na linha de frente do tratamento aos pacientes da covid-19.

"Continuamos a receber depoimentos de médicos em hospitais ou centros de saúde que estão longe de ter EPIs o suficiente, onde os equipamentos estão racionados ou as normas dos kits estão longe de ser alcançadas. É um risco inaceitável para a saúde e a vida dos médicos e seus pacientes", lamentou o presidente da BMA, Chaand Nagpaul, em um comunicado publicado no domingo.

Mais de 170 milhões de equipamentos de proteção foram distribuídos, afirmou hoje à BBC a secretária de estado para a Saúde, Helen Whately, que, no entanto, admitiu "atrasos nas entregas (aos médicos) na linha de frente em alguns lugares".

Coronavírus