PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rei emérito Juan Carlos I, suspeito de corrupção, vai deixar a Espanha

Alvo de investigação do Supremo Tribunal, Juan Carlos I deixou carta ao filho - David Ramos/Getty Images
Alvo de investigação do Supremo Tribunal, Juan Carlos I deixou carta ao filho Imagem: David Ramos/Getty Images

03/08/2020 14h26

O rei emérito Juan Carlos I, alvo de uma investigação do Supremo Tribunal por corrupção, anunciou em uma carta ao filho Felipe V sua decisão de "se mudar" para fora da Espanha.

"Vossa Majestade, querido Felipe, com a mesma ânsia de servir a Espanha que inspirou meu reinado e diante da repercussão pública que certos eventos passados em minha vida privada estão gerando (...) Comunico a você minha ponderada decisão de sair nesse momento da Espanha", escreveu o soberano emérito citado em comunicado da Casa Real.

O rei Felipe transmitiu a seu pai "seu sincero respeito e gratidão por sua decisão", segundo o comunicado da Casa Real.

Juan Carlos, 82 anos, indica em sua carta que toma essa decisão de "contribuir para facilitar" o exercício das funções do monarca atual "da tranquilidade e sossego que requer sua alta responsabilidade".

"Meu legado e minha dignidade como pessoa são o que eles exigem de mim", diz o rei emérito, que está sendo investigado por procuradores suíços e pelo Supremo Tribunal espanhol sobre os supostos fundos em paraísos fiscais de supostas comissões.

O comunicado é concluído com um parágrafo em que o rei "deseja enfatizar a importância histórica do reinado de seu pai, como um legado e trabalho político e institucional de serviço à Espanha e à democracia; e ao mesmo tempo ele quer reafirmar os princípios e os valores em que se baseia, dentro da estrutura de nossa Constituição e do resto do sistema jurídico".

Seis anos após sua abdicação, o rei emérito está em uma situação muito difícil.

A justiça, na Suíça e na Espanha, investiga a origem de 100 milhões de dólares que Juan Carlos teria secretamente recebido da Arábia Saudita em uma conta na Suíça em 2008.

O Supremo Tribunal espanhol anunciou em junho a abertura da investigação para determinar sua eventual responsabilidade em um caso iniciado em 2018, quando em gravações atribuídas à sua ex-amante Corinna Larsen, ela assegurava que Juan Carlos teria cobrado uma comissão pela adjudicação de um contrato para a construção da linha ferroviária de alta velocidade na Arábia Saudita.

Internacional