PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Companhia elétrica da Califórnia é acusada de causar incêndio mortal

O incêndio matou quatro pessoas e destruiu mais de 200 km² de território - David McNew/Getty Images/AFP
O incêndio matou quatro pessoas e destruiu mais de 200 km² de território Imagem: David McNew/Getty Images/AFP

24/09/2021 21h47

Uma companhia de energia elétrica da Califórnia foi acusada de ter causado o incêndio Zogg, que no ano passado matou quatro pessoas e destruiu mais de 200 km² de território, informou uma promotora nesta sexta-feira (24).

"Temos evidências suficientes para provar, além de qualquer dúvida razoável, que a empresa Pacific Gas & Electric é criminalmente responsável por sua imprudente ignição do incêndio Zogg e pelas mortes e destruição que causou", disse a promotora do condado de Shasta, Stephanie Bridgett, em coletiva de imprensa. As acusações incluem 11 crimes graves e 20 menores.

O incêndio Zogg começou em 27 de setembro de 2020, em uma área arborizada de Shasta, norte da Califórnia. Uma investigação do departamento de bombeiros da Califórnia determinou que o fogo teve início quando uma árvore atingiu a rede elétrica.

De acordo com a promotoria, a PG&E falhou em remover essa árvore três anos atrás. "Seu comportamento foi imprudente e criminalmente negligente, e resultou na morte de quatro pessoas", incluindo uma menina de 8 anos, ressaltou Stephanie Bridgett.

A empresa respondeu com um comunicado contestando as acusações. "Aceitamos a decisão do departamento de bombeiros da Califórnia de que uma árvore teve contato com nossa linha de energia e iniciou o incêndio Zogg. Aceitamos essa conclusão. Mas não cometemos um crime", declarou Patti Poppe, diretora executiva da PG&E, na nota.

Patti argumentou que dois profissionais avaliaram a região e decidiram que a árvore em questão não deveria ser removida. A empresa já "lidou com muitas reivindicações de vítimas do incêndio Zogg, juntamente com reivindicações dos condados de Shasta e Tehama", disse. "E trabalhamos duro para resolver as reivindicações restantes."

A diretora afirmou que a companhia está modificando seus procedimentos de rotina de manutenção dos cabos elétricos entre a vegetação, devido aos novos padrões climáticos na região. O oeste dos Estados Unidos sofre há anos com a seca severa, e as mudanças climáticas aumentaram as temperaturas, prolongando as temporadas de incêndios na Califórnia.

A PG&E já havia sido condenada por ter causado o incêndio Camp em 2018, o mais mortal da história recente da Califórnia, por conta de cabos defeituosos. O incêndio praticamente varreu do mapa a pequena cidade de Paradise e deixou 86 mortos.

Internacional