PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

Ex-presidente ucraniano Poroshenko afirma que foi impedido de deixar o país

O ex-presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko - 27.abr.2022 - Reprodução/Facebook/Petro Poroshenko
O ex-presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko Imagem: 27.abr.2022 - Reprodução/Facebook/Petro Poroshenko

Em Kiev (Ucrânia)

28/05/2022 08h50

O ex-presidente ucraniano Petro Poroshenko, rival do atual líder Volodimir Zelensky, anunciou que foi impedido de deixar o país para viajar para a Lituânia, e criticou uma decisão que viola o "cessar-fogo político" interno em vigor devido à invasão russa.

Poroshenko, presidente da Ucrânia de 2014 a 2019, atualmente lidera o partido Solidariedade Europeia, a segunda maior formação do Parlamento, e que se opõe a Zelensky.

De acordo com seus serviços de imprensa, Poroshenko foi "impedido" de "cruzar a fronteira ucraniana", quando o ex-presidente se preparava para viajar para participar da assembleia parlamentar da OTAN em Vilnius e havia recebido "todas as permissões formais para deixar o país" como membro permanente da delegação ucraniana.

"Existe o risco de que com esta decisão as autoridades tenham violado o cessar-fogo político aplicado em tempo de guerra com as forças da oposição, que é um dos pilares da unidade nacional face à agressão russa", indicou o serviço.

As disputas na política ucraniana cessaram desde a invasão do país pelas tropas russas em 24 de fevereiro. A maioria das forças políticas se uniu na defesa do país. Onze partidos considerados pró-russos foram proibidos.