Conteúdo publicado há 6 meses

Equador demite altos funcionários após morte de ao menos 7 presos ligados à morte de presidenciável

O Equador anunciou neste sábado (7) que demitiu um general da polícia e o diretor da autoridade penitenciária, após o assassinato de pelo menos sete presos ligados ao assassinato do candidato presidencial Fernando Villavicencio.

"Haverá uma reestruturação no alto comando da polícia. Nas próximas horas, será anunciado quem liderará a instituição", disse Juan Zapata, ministro do Interior do presidente Guillermo Lasso.