Defensoria pública: ação da PM contra estudantes no Rio foi desproporcional

Vitor Abdala

Da Agência Brasil

PM retira à força estudantes da Secretaria da Educação do Rio

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro divulgou, neste sábado (21), uma nota em que critica o uso de força pela Polícia Militar (PM) durante a desocupação da sede da Secretaria Estadual de Educação.

O prédio estava ocupado desde a tarde de ontem (20) por alunos da rede estadual e foi desocupado pelo Batalhão de Choque da PM na madrugada de hoje.

Segundo a Defensoria Pública, a ação da polícia, que usou spray de pimenta para desocupar o prédio, foi desproporcional e não teve autorização judicial. Para a defensoria, a segurança dos alunos deveria ser prioridade.

"Como expressamos em ação civil pública ajuizada quando iniciadas as ocupações, defendemos o direito à manifestação e reunião pacífica. Acreditamos que o diálogo e a mediação são os caminhos eficazes na solução de conflitos", informa a nota.

Também por meio de nota, a Polícia Militar informou que tentou um diálogo com os estudantes e que, inicialmente, eles concordaram em deixar o prédio. Mas, depois, segundo a PM, os estudantes desistiram de sair e resolveram manter a ocupação. Na versão da polícia, apenas nesse momento os policiais usaram o spray de pimenta.

Os estudantes disseram que, além do spray, alguns manifestantes ficaram feridos e foram arranhados durante a desocupação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos