PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Presidente do PSDB critica encontro entre Lula e FHC: 'Sinais trocados'

Pedro Venceslau

Em São Paulo

21/05/2021 15h18Atualizada em 21/05/2021 19h16

Integrantes do PSDB reagiram aos elogios públicos e à aproximação entre os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A notícia de que ambos almoçaram juntos, na semana passada, na casa do ex-ministro Nelson Jobim, provocou mal-estar no partido. Bruno Araújo (PE), presidente do PSDB Nacional, resumiu o incômodo e fez um apelo para o partido evitar "passar sinais trocados" a seus eleitores.

"Esse encontro ajuda a derrotar Bolsonaro, mas não faz bem a um potencial candidato do PSDB. Nossa característica é saber dialogar, inclusive com adversários políticos. De toda forma, precisamos evitar sinais trocados aos nossos eleitores. O partido segue firme na construção de uma candidatura distante dos extremos que se estabeleceram na democracia brasileira", afirmou Araújo.

Depois de o petismo rotular seu governo (de FHC) de 'herança maldita', parece mais que estão em busca de votos do que um reconhecimento da gestão de FHC. Bruno Araújo, presidente do PSDB

Lula registrou o encontro hoje por meio de suas redes sociais. A aproximação com o tucano faz parte da estratégia do petista de se apresentar como um pré-candidato moderado e atrair lideranças do centro político.

À coluna Direto da Fonte, do jornal O Estado de S. Paulo, FHC afirmou hoje que continua buscando uma terceira via entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e Lula. Se possível, no PSDB. "Se essa não acontecer, não vou deixar meu voto em branco."

Ele também tuitou sobre o assunto. "Reafirmo, para evitar más interpretações: PSDB deve lançar candidato e o apoiarei; se não o levarmos ao segundo turno, neste caso não apoiarei o atual mandante, mas quem a ele se oponha, mesmo o Lula."

Política