PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
8 meses

Após elogios, Lula almoça com FHC para discutir democracia

Lula e FHC se reúnem em São Paulo  -  Ricardo Stuckert
Lula e FHC se reúnem em São Paulo Imagem: Ricardo Stuckert

Colaboração para o UOL

21/05/2021 10h30Atualizada em 21/05/2021 11h05

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu para um almoço com Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a convite de Nelson Jobim, ex-ministro da Justiça no governo do tucano.

A conta oficial de Lula no Twitter compartilhou hoje uma foto do encontro entre os ex-presidentes. "Um almoço com muita democracia no cardápio", diz a publicação. "Os ex-presidentes tiveram uma longa conversa sobre o Brasil, sobre nossa democracia, e o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia."

O encontro ocorreu após FHC dizer que votaria no petista contra o atual presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2022, caso não apareça outro candidato forte. Em entrevista ao Programa Conversa com Bial, da TV Globo, ele disse que Lula é "um democrata" que respeita as instituições republicanas e "olha para os que mais precisam".

"Como pessoa, o Lula é sagaz. Desde que o conheci, fiquei admirado com a capacidade que ele tinha. Ele percebe na hora, e ele muda na hora também. Ele é rápido. Ele não precisa ler, ele percebe", afirmou FHC na ocasião.

Lula, por sua vez, disse que gostou da entrevista e que sempre teve uma "disputa civilizada" com o tucano. "Fico feliz que ele tenha dito que votaria em mim e eu faria o mesmo se fosse o contrário. Ele sempre foi um intelectual e sabe que não dá para inventar uma candidatura", escreveu nas redes sociais.

"Cara de pau", diz Bolsonaro sobre FHC

Ontem, durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) xingou de "cara de pau" o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por dizer que votaria em Lula em um eventual segundo turno nas eleições de 2022.

Bolsonaro ainda sugeriu apoiar uma nova ocupação do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) na fazenda da família do tucano em Buritis (MG), como aconteceu em 2002. Antes, ele falava sobre reforma agrária e criticou a atuação de seus antecessores nesta questão.

O campo não podia mais continuar em guerra, como vimos antes no governo [Michel] Temer. O próprio PT, nos governos Lula e Dilma, foi recordista em invasões de terra. No governo FHC também existia isso. Teve uma passagem notória, naquele momento em que invadiram a fazenda do Fernando Henrique Cardoso, esse FHC que está dizendo agora que vai votar no Lula. Cara de pau.
Jair Bolsonaro

"Genocida e miliciano", diz Lula sobre Bolsonaro

Em entrevista à Rádio Tupi hoje de manhã, Lula disse ainda não ter certeza se vai concorrer nas eleições de 2022, mas que, se entrar na corrida, "será para ganhar". O ex-presidente também criticou Bolsonaro, a quem chamou de "genocida e miliciano" e criticou a forma como ele lida com a pandemia de covid-19.

Não é sobre se o Lula vai vencer o Bolsonaro, o povo brasileiro vai derrotar o Bolsonaro, vai optar pela democracia, decência, por alguém que seja humanista, que respeite, goste de paz e não de guerra, distribua livros e não armas. Alguém que não faça discurso de ódio 24h por dia, fale de amor, mude a história do Brasil. E eu estarei dentro dela.
Lula

Flávio Dino elogia encontro

Após o encontro, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse achar importante o diálogo entre Lula e FHC. "Trata-se de proteger a democracia ameaçada pela extrema-direita bolsonarista. Defendo esse diálogo há alguns anos", escreveu nas redes sociais.

O governador compartilhou entrevistas feitas em anos anteriores, quando defendeu um acordo nacional capitaneado por PT e PSDB. "Melhor saída para a crise é Lula e FHC em uma mesa", disse Dino em 2017 à BBC.

Política