Conteúdo publicado há 1 mês

Nikolas e Whindersson trocam farpas após deputado dizer que Brasil precisa de 'mais testosterona'

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) rebateu nesta segunda-feira, 22, no X (antigo Twitter) o comediante Whindersson Nunes, um dos maiores criadores de conteúdo do Brasil, que postou trecho do discurso do deputado neste domingo, 21, em Copacabana, em que disse que o Brasil precisa de "mais testosterona".

No seu perfil na rede social, onde acumula mais de 27 milhões de seguidores, Whindersson alfinetou o parlamentar, dizendo que qualquer homem cisgênero - ou seja, que se identifica com o sexo que nasceu -, possui testosterona. Caso contrário, disse o comediante, pode ter uma condição clínica e, por isso, precisar de uma visita ao urologista.

Em resposta, o deputado afirmou que se tratava de "figura de linguagem" para se referir à coragem. "Só está pagando pedágio para o politicamente correto - logo você? Me lembro quando seu sonho era formar uma família, falava sobre Jesus e todo mundo gostava de você", disse o parlamentar. "Você era você mesmo e não um personagem pra agradar uma minoria exigente."

O comediante rebateu e disse que gostava quando "deputados trabalhavam pelo povo" em vez de "bater boca em internet". A discussão provocou uma onda de ataques dos apoiadores de Nikolas contra Whindersson, envolvendo o antigo relacionamento e até o fato de o primeiro filho dele, prematuro, ter falecido pouco depois do nascimento.

Neste domingo, no Rio, Nikolas fez ataques ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e elogiou o ex-presidente Bolsonaro, assim como o pastor Silas Malafaia. Num discurso de pouco mais de cinco minutos, o deputado bolsonarista disse que o País não precisa de mais projetos de lei e emendas, mas, sim, de homens com testosterona no comando.

"Este País não precisa de mais projetos de lei, este País não precisa mais de emenda. Este País precisa de homens com testosterona. É isso que esse País precisa. E eu tenho certeza que é o que esses dois homens (Bolsonaro e Silas) representam", disse o deputado, que também pediu aplausos a Elon Musk, empresário dono do X.

O ato, em defesa de Bolsonaro - investigado por suposta tentativa de golpe de Estado -, foi impulsionado pelas críticas recentes do bilionário ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao ministro Alexandre de Moraes.

Deixe seu comentário

Só para assinantes