Relembre os últimos atentados terroristas da Europa (1)

ROMA, 27 JUL (ANSA) - Em menos de uma semana, a Europa foi palco de três preocupantes atentados, um em um shopping de Munique, na Alemanha, na última sexta-feira (22), outro na cidade de Ansbach, também no mesmo país, no domingo passado (24) e o terceiro na pequena Saint-Etienne-du-Rouvray, na França, na terça-feira (26).   

Esses ataques preocupam os mandatários e outras autoridades do continente, que estão em alerta para possíveis atos terroristas futuros, mas representam apenas alguns dos vários atentados que levaram terror aos europeus nos últimos anos.   

Por isso, relembre os ataques mais marcantes da história recente da Europa: Ataque no metrô de Madri de 2004 - Na manhã do dia 11 de março de 2004, um atentado à bomba matou 191 pessoas e deixou mais de 1,5 mil feridos em Madri, na Espanha. Primeiro, três bombas explodiram em um dos vagões do trem parado na estação de Atocha.   

Logo em seguida, outras quatro bombas explodiram nas estações El Pozo de Tío Raimundo e Santa Eugenia e mais quatro, na rua Téllez, a cerca de 500 metros de Atocha. As investigações do caso descobriram que o atentado foi realizado por uma célula terrorista do grupo jihadista Al Qaeda.   

Ataque ao metrô de Londres de 2005 - Na manhã do dia 7 de julho de 2005, quatro homens-bombas se suicidaram em Londres matando 52 pessoas e ferindo outras dezenas.   

Os ataques aconteceram nas estações de metrô Aldgate, Edgware Road e Russell Square e em um ônibus de dois andares. Os atos foram reivindicados pelo grupo terrorista Al Qaeda. Ataque em escola judia de Toulouse de 2012 - No dia 19 de março de 2012, um homem de origem argelina abriu fogo contra a escola judia Ozar Hatorah, localizada na cidade de Toulouse, na França, matando um adulto e três crianças.   

O ataque aconteceu cerca de uma semana depois da mesmo homem ter usado a mesma arma para assassinar três policiais franceses. O atirador foi morto pelas autoridades responsáveis.   

Ataque a museu judáico em Bruxelas de 2014 - No dia 24 de maio de 2014, um homem matou quatro pessoas com um fuzil kalashnikov no Museu Judáico de Bruxelas, na Bélgica.   

O atirador foi detido em Marselha, na França, seis dias após o atentado e extraditado para a Bélgica. De acordo com a imprensa local, acredita-se que o homem, de origem árabe, teria ido para a Síria em 2013 para lutar ao lado de jihadistas.   

Ataque ao jornal "Charlie Hebdo" - No dia 7 de janeiro de 2014, os irmãos Said e Chérif Kouachi, armados com metralhadoras, invadiram a sede do jornal satírico "Charlie Hebdo", em Paris, já alvo de ameaças por suas charges ofensivas a Maomé, e mataram 12 pessoas, entre elas alguns cartunistas da publicação e um segurança.   

Além disso, um atirador matou uma policial no dia seguinte e, dois dias depois do ataque, um outro homem foi a um mercado koscher e matou mais quatro fregueses e um policial na troca de tiros. Nos três dias de tensão, foram 18 as pessoas mortas, sem contar os terroristas, que foram "abatidos".   

Ataque em café em Copenhague - Um homem "de características árabes" abriu fogo contra um café em Copenhague, na Dinamarca, que estava sediando um simpósio sobre liberdade de expressão do artista Lark Vilks, que fez uma charge na qual Maomé é um cachorro. O ato matou o cineasta Finn N?rgaard e feriu outras três pessoas.   

No mesmo fim de semana, o atirador ainda matou um senhor que vigiava uma sinagoga e feriu mais três pessoas. A polícia dinamarquesa afirmou que o homem foi "abatido".   

Ataques em Paris - Na noite do dia 13 de novembro de 2015, 130 pessoas morreram e centenas ficaram feridas em vários ataques reivindicados pelo Estado Islâmico (EI, ex-Isis), quase simultâneos, em Paris.   

Primeiramente, três homens-bombas se explodiram próximo às entradas do Stade de France, matando um segurança do local e evacuando o estádio, onde estava acontecendo um amistoso da França contra a Alemanha. Logo depois, vários bares e restaurantes foram alvos de tiroteios, o que levou à morte de mais 39 pessoas.   

Por fim, a casa noturna Bataclan, que no momento estava lotada por causa do show da banda norte-americana The Eagles of Death Metal", foi palco de mais um massacre, que começou quando terroristas entraram no local, fizeram os espectadores reféns e acabaram matando 90 pessoas.   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos