PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Advogado de cardeal italiano posta fotos de sunga e é demitido

Família do cardeal Angelo Becciu, envolvido em um escândalo financeiro no Vaticano, se sentiu constrangida após divulgação de imagens de Ivano Lai - Andreas Solaro/AFP
Família do cardeal Angelo Becciu, envolvido em um escândalo financeiro no Vaticano, se sentiu constrangida após divulgação de imagens de Ivano Lai Imagem: Andreas Solaro/AFP

DA ANSA, em São Paulo

01/10/2020 10h50

Por um motivo inusitado, o advogado Ivano Lai anunciou que deixou a defesa do cardeal Angelo Becciu, que está envolvido em um escândalo financeiro no Vaticano: as fotos postadas por ele de sunga em suas redes sociais deixaram a família do religioso "constrangida".

Lai, que tem 38 anos, aparece em uma série de imagens sentado na água do mar, próximo a algumas pedras, apenas de sunga. A revelação foi feita pelo jornal Corriere della Sera e, após a repercussão, Lai confirmou que tinha deixado a função, mas sem justificar os motivos.

"Com muita dor, comunico que renunciei à função dada a mim pela família Becciu, que me deu a honra de sua confiança e de seu afeto. Lamento ser a causa de mais aflições que se juntam às acusações injustas sofridas nesses dias pela Sua Eminência o cardeal Becciu e os seus familiares, exemplos de honestidade e retidão não comuns, e dignos de terem ao seu lado a melhor defesa em um caso tão complexo", informou em nota.

Pouco antes do seu afastamento, o advogado havia entrado com duas ações na Justiça do Vaticano, a pedido da família: uma por difamação e calúnia e outra por divulgação de informações sigilosas.

Becciu foi "convidado" a renunciar ao seu cargo de prefeito da Congregação para a Causa dos Santos na última semana após seu nome estar envolvido em um escândalo de desvio de finalidade de verbas arrecadas pelo Óbolo de São Pedro - sistema que arrecada donativos da Igreja para causas sociais.

À época dos fatos, o cardeal era o "número 2" da poderosa Secretaria de Estado do Vaticano e participou da autorização da compra de um edifício de luxo em Londres, em parceira com um fundo de Luxemburgo, no valor de 200 milhões de euros.

Nesta semana, o jornal "Financial Times" revelou que outros 100 milhões de libras esterlinas foram usados para comprar apartamentos de alto padrão na capital britânica. Becciu nega as acusações e diz que o papa Francisco foi mal assessorado no caso.

Internacional