PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Novo toque de recolher na Itália entra em vigor nesta quarta

Por conta da desaceleração da pandemia, o Conselho de Ministros da Itália decidiu relaxar diversas medidas restritivas  - Getty Images
Por conta da desaceleração da pandemia, o Conselho de Ministros da Itália decidiu relaxar diversas medidas restritivas Imagem: Getty Images

18/05/2021 17h40

ROMA, 18 MAI (ANSA) - O presidente da Itália, Sergio Mattarella, firmou nesta terça-feira (18) o novo decreto com medidas anti-Covid em mais uma etapa do relaxamento das regras sanitárias de contenção do novo coronavírus Sars-CoV-2.

Com a assinatura do texto e a consequente publicação do decreto de reabertura no Diário da República, o toque de recolher, previamente fixado às 22 horas, será alterado para às 23h a partir desta quarta-feira (19).

Por conta da desaceleração da pandemia de Covid-19 no país, o Conselho de Ministros da Itália decidiu relaxar diversas medidas restritivas em regiões com menor risco epidemiológico, o que inclui 19 dos 20 territórios.

Entre as novas regras também está a eliminação do toque de recolher nas chamadas zonas brancas, que tem índices baixíssimos de casos, mantendo apenas a obrigatoriedade do uso de máscaras e do distanciamento social.

Além disso, a partir de 1º de junho, os restaurantes e bares poderão reabrir para almoços e jantares em ambientes fechados e, a partir do dia 15 do mesmo mês, haverá a liberação para festas de casamento mediante o "passe verde", ou seja, apenas de vacinados ou com pessoas em posse de exames negativos para o coronavírus Sars-CoV-2.

O novo texto prevê a validade do passe verde por nove meses a partir da data de conclusão do ciclo de vacinação. O documento poderá ser emitido também no momento da administração da primeira dose do imunizante e será válido a partir do 15º dia após a administração até "a data prevista para o término do ciclo".

O decreto ainda estabelece que os centros comerciais e shoppings poderão reabrir nos fins de semana e nos feriados a partir de 22 de maio. (ANSA)

Internacional