PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Afegã imortalizada por foto na revista National Geographic é acolhida pela Itália

Sharbat Gula em foto icônica (esq.) que foi capa da National Geographic e em imagem divulgada pela Agência de Investigação Federal do Paquistão (FIA), ao ser presa no dia 26 de outubro de 2016 - Steve McCurry/Magnum Photos e AFP/FIA
Sharbat Gula em foto icônica (esq.) que foi capa da National Geographic e em imagem divulgada pela Agência de Investigação Federal do Paquistão (FIA), ao ser presa no dia 26 de outubro de 2016 Imagem: Steve McCurry/Magnum Photos e AFP/FIA

Da Ansa

25/11/2021 13h48Atualizada em 25/11/2021 14h03

Sharbat Gula, a afegã de olhos verdes imortalizada em uma capa da revista National Geographic em 1985, chegou à Itália no âmbito de um programa de evacuação e acolhimento promovido pelo país europeu.

Segundo comunicado do governo italiano, Gula é um símbolo das "vicissitudes e dos conflitos da fase que o Afeganistão e seu povo atravessam".

"O governo propiciou e organizou sua transferência para a Itália, no contexto mais amplo de um programa de evacuação de cidadãos afegãos", diz a nota.

A medida foi tomada após os apelos de Gula para deixar o Afeganistão em função da tomada do poder pelo grupo fundamentalista Talibã, em agosto passado.

A afegã foi imortalizada pelo fotógrafo Steve McCurry em 1984, quando tinha acabado de chegar ao campo de refugiados de Peshawar, no Paquistão, fugindo da guerra soviética em seu país.

Na época, ela tinha apenas 12 anos, e a foto estampou a capa da National Geographic em junho de 1985. Seu olhar intenso voltado à câmera fez com que ela fosse chamada de "Mona Lisa do Terceiro Mundo".

Depois de 17 anos, em 2002, McCurry reencontrou Gula no campo de refugiados de Nasir Bagh, também no Paquistão, e a fotografou novamente. O retrato foi publicado na mesma revista e a mostra com os olhos magnéticos que a tornaram famosa no mundo inteiro.

Internacional