Autoridades chinesas fecham site de famoso economista liberal

Pequim, 21 jan (EFE).- O Escritório de Informação da internet de Pequim fechou 17 sites, entre elas a do Instituto de Economia Tianze, do famoso economista liberal Mao Yushi, sob a acusação de violarem as leis e normativas locais.

"As 17 páginas foram fechadas por proporcionar serviços de notícias online sem a licença do Serviço de Informação da internet, por proporcionar conteúdos pornográficos, não se registrar com uma licença de fornecedor de conteúdos de internet ou proporcionar informação falsa", detalhou o organismo.

Entre as páginas bloqueadas destacam-se o site oficial do Instituto de Economia Tianze (também conhecido em inglês como Unirule Institute of Economics) e de seu portal associado "chinese-review".

Embora os portais ainda apareçam nos buscadores, ficaram inabilitados, e os internautas recebem uma mensagem de erro quando tentam visitá-los.

Mao Yushi, um veterano economista também conhecido por sua defesa dos direitos humanos e suas reivindicações de maiores liberdades políticas no regime comunista, foi um dos fundadores desse centro de estudos, em 1993. O local difunde os fundamentos do capitalismo e defende o livre mercado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos