Pescador ganha fama na Sérvia após evitar vários suicídios no rio Danúbio

Snezana Stanojevic

Em Belgrado

  • Andrej Isakovic/AFP Photo

    No último resgate, pescador Renato Grbic salvou uma jovem de 16 anos

    No último resgate, pescador Renato Grbic salvou uma jovem de 16 anos

Em um ensolarado dia de setembro de 1998, o pescador Renato Grbic navegava pelo rio Danúbio, perto de Belgrado, logo abaixo da ponte de Pancevo, quando ouviu algo cair com força na água. Era um homem, um suicida, que tinha pulado de uma altura de 19 metros.

"Sua jaqueta estava encharcada e pesava muito. Sua cabeça estava afundando. Em um primeiro momento, não queria ajuda, se negava a me dar a mão", descreveu Grbic, lembrando o primeiro resgate de sua vida.

"Eu dizia a ele que o sol era tão lindo e a vida também. Foi uma tarefa difícil retirá-lo da água", contou o pescador, que desde aquele dia salvou a vida de outras 28 pessoas que pularam da ponte, a última delas há poucos meses.

"É lindo poder ajudar. Tornou-se uma missão particular minha", comentou à Agência Efe o pescador de 55 anos de idade, uma celebridade na Sérvia.

Grbic vem de uma família que há gerações se dedica à pesca. Vive às margens do rio Danúbio, em uma área humilde de Belgrado, nas imediações da imponente ponte de Pancevo, onde tem um restaurante.

"Quando me aproximo da pessoa, agarro a mão, a perna, a cabeça, o que puder, e a coloco em meu bote. De repente, sinto o bem-estar, a beleza, a paz interior porque sei que salvei a vida de alguém, que fiz algo bom, belo", declarou.

O último resgate aconteceu no final de outubro do ano passado, quando salvou uma jovem de 16 anos que tentou suicídio após uma desilusão amorosa.

"Demorei um pouco para carregar meu bote até a água. Um vizinho se aproximou um pouco antes e a pegou pelas mãos, mas ela estava se afogando. Consegui finalmente segurá-la pelas axilas e colocá-la no meu barco", lembrou.

"O Danúbio é um rio potente, rápido, frio, aqui tudo corre em um segundo. Em cinco ou dez minutos é preciso reagir, se não a morte é iminente", assegurou o pescador.

Seu nome de batismo é Renato, que provém do latim "Renatus", que significa "nascido de novo, ou dar uma nova oportunidade de vida, talvez tenha algum simbolismo", ponderou o pescador, que mantém contato com duas pessoas que salvou.

"Uma tinha 18 anos quando pulou da ponte. Agora está casada e tem um filho. Fui convidado para seu casamento, me receberam com muito carinho", afirmou Renato.

A outra menina nem tinha completado 16 anos quando se jogou no rio e foi salva pelo pescador.

Dias depois da tentativa de suicídio, a família da jovem comemorou seu aniversário no restaurante de Renato. Isso foi há dois anos.

"Em setembro completou 18 anos. É um anjo, uma beleza que deve viver e encontrou o sentido de sua vida", disse.

"Não me sinto como um herói. Acredito que todos devemos nos ajudar na desgraça", afirmou Grbic, contando que muita gente da Sérvia, e inclusive turistas estrangeiros, se aproximam de seu restaurante para cumprimentá-lo e tirar uma foto com ele.

"Aqui se diz que a boa fama chega longe. É lindo quando se lembram de você por algo bom", concluiu.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos