PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Argentina agradece "amizade" de Reino Unido e Malvinas na busca por submarino

30/11/2017 17h07

Buenos Aires, 30 nov (EFE). - A Argentina agradeceu nesta quinta-feira o "gesto de amizade" do Reino Unido e a atitude dos moradores das Ilhas Malvinas, cuja soberania pertence aos britânicos, mas historicamente é reivindica pelo Executivo em Buenos Aires, pela ajuda prestada na busca pelo submarino San Juan, desaparecido há 15 dias no Oceano Atlântico.

Em entrevista na capital do país, Jorge Faurie, ministro de Relações Exteriores, avaliou a ajuda técnica fornecida pelo governo britânico "e a atitude dos habitantes malvinenses", que ofereceram a possibilidade que "helicópteros baseados lá participassem das buscas".

"Acredito que é um fato. Os argentinos somos enormemente sensíveis aos gestos de amizade num momento de necessidade", destacou ele.

Atualmente, 19 países, entre eles Brasil, Estados Unidos, Rússia e Reino Unido, trabalham fornecendo apoios aéreo, naval ou logístico na busca pelo submarino da Marinha, que desapareceu no dia 15 a 430 quilômetros do litoral da Patagônia argentina, com 44 tripulantes.

"O mais importante que os argentinos têm é reconhecer o significado que a ajuda internacional teve", insistiu o chanceler.

"Este é um fato a saudar no contexto das nossas relações bilaterais, que não começaram a mudar a partir deste gesto expressivo de respeito e sensibilidade num momento como o que a Argentina está vivendo, mas em 10 de dezembro de 2015", acrescentou Faurie, em referência ao dia em que o presidente Mauricio Macri assumiu o poder.

Argentina e Reino Unido estiveram em guerra pela soberania das Ilhas Malvinas em 1982, quando tropas argentinas desembarcaram no arquipélago, que está sob controle britânico desde 1833. A disputa terminou com a rendição da Argentina em junho do mesmo ano. Ao todo, 907 pessoas morreram, sendo 649 argentinas.

Há quase 50 anos, um plebiscito não reconhecido pelo governo da Argentina mostrou que a população das Malvinas preferia manter os vínculos com o Reino Unido.

Internacional