Novo chefe de governo espanhol tomará posse amanhã diante do rei Felipe VI

Madri, 1 jun (EFE).- O novo presidente de governo da Espanha, o socialista Pedro Sánchez, jurará seu cargo em uma cerimônia diante do rei Felipe VI amanhã, sábado, informaram nesta sexta-feira fontes da Casa Real.

Após a cerimônia no Palácio da Zarzuela, a residência da realeza espanhola, Sánchez se transformará oficialmente no sétimo presidente de governo da democracia na Espanha, depois que a moção de censura contra seu antecessor no cargo, o conservador Mariano Rajoy, foi aprovada hoje no parlamento.

A presidente do Congresso, Ana Pastor, se reuniu hoje com o rei para comunicá-lo sobre a posse de Sánchez, que falou por telefone com o monarca.

Após o encontro, que durou cerca de 20 minutos, a Casa Real informou a data da posse de Sánchez na cerimônia diante do chefe do Estado.

O rei assinou em seguida o decreto real com a nomeação do líder socialista para que seja publicado no Diário Oficial do Estado espanhol antes da posse amanhã.

Como é tradicional, a cerimônia vai acontecer no Salão de Audiências, onde Sánchez manifestará sua fidelidade ao cargo, acatando a Constituição.

No ato, está prevista a presença dos presidentes do Congresso, Ana Pastor, do Senado, Pío García-Escudero, assim como do Tribunal Constitucional, Juan José González Rivas, e do Tribunal Supremo e Conselho Geral do Poder Judiciário (CGPJ), Carlos Lesmes, entre outras autoridades.

Em ocasiões anteriores, também esteve presente o presidente do governo demissionário, neste caso Rajoy.

Também estará, como notário maior do Reino, o ainda ministro da Justiça, Rafael Catalá, para dar fé ao ato.

No início da cerimônia será feita a leitura do decreto real assinado pelo rei que dispõe a nomeação do líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) segundo o disposto nos artigos 62 e 99 da Constituição espanhola.

Assim que Sánchez tomar posse, deverá anunciar os novos ministros, mas ele ainda não determinou quando isto será feito.

Pedro Sánchez foi eleito hoje novo presidente de governo da Espanha após obter o apoio da maioria absoluta do Congresso a uma histórica moção de censura com a qual forçou a saída do poder do conservador Rajoy, líder do Partido Popular (PP).

A moção, apresentada há uma semana pelos socialistas após vir à tona a sentença da Justiça espanhola que condenava o PP por beneficiar-se de um esquema de corrupção, foi aprovada por 180 votos a favor, 169 contra e uma abstenção.

Sánchez contou com o apoio do PSOE, da coalizão de esquerda Unidos Podemos e dos grupos nacionalistas e independentistas do País Basco e da Catalunha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos