PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump pede a secretário que não viaje à Coreia do Norte por falta de avanços

Mandel Ngan/ AFP
Imagem: Mandel Ngan/ AFP

Em Washington

24/08/2018 15h38

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (24) que pediu ao secretário de Estado, Mike Pompeo, que cancele a viagem à Coreia do Norte, que estava prevista para a próxima semana, ao considerar que "não estão sendo realizados suficientes progressos" nas negociações entre ambos países.

"Pedi ao secretário de Estado, Mike Pompeo, que não vá à Coreia do Norte desta vez, porque tenho a sensação de que não estão realizando suficientes progressos em relação à desnuclearização da Península da Coreia", afirmou Trump em sua conta pessoal do Twitter.

Na quinta-feira, o próprio Pompeo tinha aproveitado a apresentação do novo enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte para revelar a intenção de viajar ao país asiático na semana que vem.

Em uma segunda mensagem, Trump indicou, no entanto, que Pompeo "espera ir à Coreia do Norte em breve" e aproveitou para transmitir suas "mais cálidas saudações e respeito" ao líder norte-coreano, Kim Jong-un.

"Espero me encontrar com ele em breve!", concluiu o presidente americano.

Kim e Trump - Reprodução/Saulo Loeb/AFP - Reprodução/Saulo Loeb/AFP
Kim Jong-un e Trump se encontram durante cúpula em Singapura
Imagem: Reprodução/Saulo Loeb/AFP

Pompeo anunciou ontem que iria realizar sua quarta viagem à Coreia do Norte desde abril deste ano, após informar o nome do novo enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte, Steve Biegun, que devia acompanhá-lo na visita.

Horas depois, a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, informou ontem que Pompeo não tinha previsto se reunir nesta ocasião com Kim, como fez em anteriores visitas.

Nauert rejeitou, além disso, que Washington estivesse incomodado perante a falta de avanços, após a cúpula entre Trump e Kim em Singapura em 12 de junho, e sustentou que a nova visita do secretário de Estado iria servir, entre outras coisas, para continuar com a "normalização" das relações bilaterais.

Internacional